A verdade sobre as pesquisas em São Paulo anuncia que na última chance Fernando Haddad vence a Temer e sua Marta

Por Genaldo de Melo
thumb image
São Paulo, capital paulista, como maior reduto eleitoral do Brasil é a chamada “menina dos olhos” para todos os partidos que tem projetos para tomada do poder, principalmente quando o assunto já são as eleições de 2018. De modo, que não seria diferente com o partido do presidente “ilegítimo” da República, Michel Temer, o PMDB. Na realidade qualquer partido com esse objetivo quer ganhar a qualquer custo as eleições municipais em São Paulo, porque já é meio caminho andado nesse processo.

Além de Temer que já foi colocado no tabuleiro recentemente pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), mais dois nomes aparecem nas sombras do PMDB como prováveis para tentar concorrer ao cargo mais importante da República em outubro de 2018, que são Henrique Meirelles, e o atrapalhado Chanceler José Serra, que provavelmente pode deixar o seu partido e ingressar no PMDB caso tenha espaço para ser o candidato.

Mas para desespero dos peemedebistas ligados diretamente a Temer o grande “nó górdio” para que eles possam sonhar com um 2018 tranqüilo e em brancas nuvens, é exatamente sua candidata à prefeitura de São Paulo, Marta Suplicy, que em vez de subir nas pesquisas e no gosto popular para vencer as eleições municipais, está fazendo exatamente o contrário, descendo “montanha abaixo”, deixando o processo complicado para todos eles. E para mais desespero ainda, quem está crescendo e com a possibilidade de surpreender como fez em 2012, respondendo nas urnas inclusive as pesquisas que tentou empurrar a própria Marta para influenciar nos redutos do petismo no município, é Fernando Haddad.

E parece que em função disso, eles estão “batendo cabeça”, conforme informa a Coluna Painel da Folha de São Paulo. Descendo a ladeira eleitoral conforme passam os dias que se aproximam do próximo domingo eleitoral, Marta Suplicy e sua turma estão colocando a culpa por sua queda nas pesquisas na “agenda maldita” do Planalto, aliada à exploração da relação da candidata com o presidente Michel Temer, pois “é todo dia uma manchete ruim”, diz um general do staff da senadora. E do outro lado conforme a mesmo Coluna Painel a turma de Michel Temer que se tornou o ocupante do Palácio do Planalto mais impopular da história política brasileira, já vislumbra o desgaste para o Planalto caso Marta chegue ao fim do primeiro turno em São Paulo atrás de Fernando Haddad.

Para construir um processo eleitoral com a finalidade de ganhar a Prefeitura de São Paulo, o erro deles foi achar que os paulistanos seriam massa de manobra como eles sempre fizeram, sem enxergar o capital eleitoral do próprio Haddad como atual prefeito, e também não contaram com o fator tucano, que também quer a qualquer custo ganhar a Prefeitura para se cacifar ao Palácio do Planalto sem a participação de Temer, Meirelles ou Serra, ou seja, esqueceram do PT e do PSDB. Pode ser muita dor para os membros do PMDB, pois quem pode ganhar as eleições paulistanas pode ser ou Dória ou o próprio Haddad pelos prognósticos da semana.

Comentários