A verdade sobre as raízes do novo fascismo que se anuncia na mídia brasileira que quer matar Lula

Por Genaldo de Melo
ecce-homo-antonio-ciseri-1880
Não precisa ser especialista em propaganda política para saber que em qualquer lugar do mundo aonde o jornalismo deixou de fazer notícias, para fazer simplesmente propaganda, aliás, propaganda política, ele pela capilaridade que tem deixou de ser jornalismo para ser fascismo. Foi assim na Alemanha de Hitler, foi assim na Itália de Mussolini, foi assim na Espanha de Franco, foi assim em Portugal de Salazar, e foi assim em todos os recantos do planeta.

O que está acontecendo com Lula por esses dias, da forma como estão apresentando as informações a seu respeito, não como notícias, mas como propaganda política, não passa de nada mais nada menos do que fascismo político. O fascismo midiático não está dizendo que um procurador da República está acusando Lula de supostos crimes, ele está afirmando que Lula é “chefe de quadrilha”. É o assassinato da reputação de um líder político que os acusadores supõem que ninguém o derrota nas urnas, e portanto é melhor matá-lo.

Da forma como estão fazendo essa guerra política, está ficando cada vez mais diáfano que Lula do ponto de vista eleitoral é simplesmente um homem a ser vencido e assassinado politicamente, porque é imbatível vivo. Os acusadores fabricam acusações, mas cometem o erro crucial de não apresentar provas, mas somente suposições, resultado da histeria ideológica. Na falta de provas concretas que incriminem o homem, esses propagandistas defendem a tese (alimentado por fanáticos do Ministério Público) de que a propina na Petrobrás, que começou evidentemente na era FHC, e continuou beneficiando o PMDB, PP, PTB, DEM e PSDB nos governos petistas por conta de um sistema político podre foi da ordem de R$ 6,2 bilhões, e Lula foi o chefe de tudo. O grande criminoso!

A fabulação dos pregadores fanáticos do Ministério Público que os fascistas da informação política repassam vinte e quatro por dia como verdade, é que desse volume todo do esquema sujo na Petrobrás, os subordinados da quadrilha ficaram com os quase R$ 6,2 bilhões, enquanto o chefe de todos, no caso Lula, ficou supostamente com somente R$ 3,7 milhões.

Além de chamar Lula de “chefão da quadrilha”, ainda o chamou nas entrelinhas de chefe burro. Enquanto os subordinados na quadrilha ficaram com 99,94% do assalto, Lula o “comandante chefe”, o “grande general”, o “maestro”, o “líder máximo”, o miseravão” (quase que o chamam de deus), ficou com somente 0,0597%. Peste de ladrão burro! Nunca se viu na história um suposto líder de organização criminosa que fosse tão burro, como o que a mídia brasileira está querendo colar na imagem de Lula.

As acusações são tão infundas que até mesmo um dos “papas” do jornalismo da direita brasileira, Reinaldo Azevedo, ficou estupefato, ao ponto de opinar sobre o erro primário do fanatismo odioso, doentio e estigmatizador que domina as consciências jurídicas, e que são repassadas pelo Jornalismo da Obediência no Brasil.

Vivemos tempos de exceção como na Ditadura Militar, e Lula representa não a pessoa dele mesmo, Nem o PT que para eles deve obrigatoriamente ser extinto do mapa político brasileiro, e nem os partidos de esquerda e movimentos sociais, Lula representa a esperança e o contraponto comprovado à direita brasileira e seu novo revelado programa fascista. Por isso a perseguição!

A mídia da propaganda política está trabalhando politicamente para todos aqueles que querem os brasileiros trabalhando 12 horas por dia, que se aposentem aos 70 anos de idade, que tenham um plano de saúde popular limitado, que não tenham direito à universidade, aliás, que não tenham direitos nenhum. E Lula é contra todas essas propostas fascistas!

Por isso que algumas “coisas” precisam ser reguladas nesse país, não é somente os transportes, a energia elétrica, o petróleo, e outros setores econômicos não, mas também o jornalismo econômico! E não tem mais outro jeito! A contrapropaganda política é o trabalho do “boca à boca”, de “pés de ouvido”, convencendo aos brasileiros para ocupar às ruas. Se querem briga, vamos prá ruas de forma pacífica brigar, mas vamos prá ruas aos milhões nesse momento defender Lula e o projeto que ele representa! Ou então cruzemos os braços e nos preparemos para os chicotes!

Comentários