Pular para o conteúdo principal

Agora chegou o momento de comparar quem tem mais força politica nas ruas do Brasil

Por Genaldo de Melo
thumb image
Politicamente o Brasil está dividido desde o final das eleições de 2014, e não adianta ninguém dizer que a culpa é de Lula e de Dilma Rousseff, que não vai convencer quem não tem resistência à raciocínio. O país está dividido exatamente por iniciativa dos grupos políticos da direita e seu principal instrumento de luta, a mídia do Jornalismo da Obediência, porque não concordam mais com o processo democrático, porque ficaram com vergonha das quatro sucessivas derrotas eleitorais.

De modo que, passaram peremptoriamente a trabalhar para derrotar o projeto que eles não conseguiram derrotar nas urnas, e provavelmente não mais vai também em 2018, principalmente se continuar não cumprindo as regras elementares da ciência política, tentando vinte e quatro horas utilizar-se do instrumento do espetáculo midiático, com os materiais formulados pela parcela conservadora e com ambições políticas das cortes judiciárias.

O inimigo público número um é Lula por causa de 2018, e o mecanismo de enfrentamento são os “supostos crimes” e “supostas provas”, resultado de uma operação Lava Jato que deixou de cumprir seu papel investigativo para pegar e prender a todos, simplesmente a todos os corruptos, sem distinção de cor, religião, partido político ou valor da conta bancária, e passou a servir apenas para o espetáculo do riso e do esquecimento de alguns e para o assassinato de reputações apenas de membros da esquerda brasileira, principalmente de Lula.

Nesse contexto o Brasil ficou dividido em quatro grupos de cidadãos. O primeiro é formado por cidadãos comuns que não se envolvem com política, mas consomem o que de pior existe em matéria de jornalismo, o chamado novo jornalismo de propaganda política, vinte e quatro horas por dia como osmose contra apenas o PT e Lula. O segundo grupo é formado também por gente do povo que consciente de que está acontecendo a mais violenta luta política no país, então através dos Aparelhos Privados de Hegemonia têm feito o contraponto nas redes sociais, na blogosfera e nas ruas. Esse dois grupos fazem parte do conjunto de cidadãos que devem ser eliminados politicamente para trabalharem 12 horas por dia, aposentarem-se com 70 anos de idade, ter um plano de saúde popular limitado, seus salários serem congelados durante vinte anos, seus filhos não terem mais o direito à universidade, aliás, para fazer parte do grande exército de reserva (downsizing), com exceção dos melhores, que não serão empreendedores, mais os melhores empregados.

O terceiro grupo de cidadãos é formado pelos membros da classe média que gostam de camisas amarelas e odeiam o vermelho, e se incluem naquele conceito de Horkeimer de que os ridículos são os mais inteligentes, porque parece que estão demorando tempo demais para compreender que como o resto da população, brasileira vão ser apunhalados pelos hiperbóreos manipuladores do golpe de Estado contra a democracia brasileira.

O quarto grupo de cidadãos é formado por todos aqueles que parece que não querem mais ter votos, porque os votos que eles angariam em eleições não são o suficiente para eleger presidente da República. São exatamente aqueles que querem mais é que o povo se dane, porque tomaram o Estado de assalto, e descobriram a atualidade de Étienne de La Boétie.

Para bom entendedor já basta! Nunca o país se viu diante de uma metáfora dessa natureza. Parcela do povo está parecendo com a força que detém no momento com Átila, rei dos hunos, diante de Aécio em frente à Orleans de 451 da Era Cristã, com superioridade absoluta de soldados, mas não luta, simplesmente e misteriosamente vai embora. É necessário que metaforicamente falando o povo transforme as ruas em maioria absoluta como nos campos cataláunicos, e que o sangue daqueles tempos seja na metáfora de hoje bandeiras e gritos nas ruas contra o golpe e o “Fora Temer. Pois só assim, e somente assim, de forma pacífica, mas politicamente, o povo nas ruas vai ser o contraponto às aves de rapina que assaltaram o Palácio do Planalto!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

Por Genaldo de Melo A Rede Globo sempre esteve envolvida nas tentativas de apresentar para a sociedade brasileira candidatos à presidente que representassem a possibilidade de a pequena minoria conservadora e dona dos meios de produção do país tomassem conta do Estado e ficassem no controle dos recursos dos cofres públicos. Mas nunca essa rede de comunicação com concessão pública escancarou tanto na suas escolhas com fez nesse final de semana com a participação de seu funcionário Luciano Huck no programa televisivo de maior audiência do país em um domingo à tarde.
Luciano Huck, que numa contradição além dos limites para um sujeito que aconselha publicamente a seriedade, a honestidade e o combate à corrupção dos homens públicos, demonstrou que além de falta de seriedade dele próprio já que havia desistido publicamente de candidatura, também demonstrou que a Rede Globo resolveu entrar de vez na disputa para ter um nome na Presidência da República para chamar de seu.
E mais grave ainda, par…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Por Genaldo de Melo O procurador da República em Curitiba, um dos coordenadores da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, parece que compreendendo que o povo brasileiro é um dos mais despolitizados do mundo, tanto que escolhe sempre os piores para serem representantes no Congresso Nacional, quer que para se terminar com a Operação de vez em 2018, orientar para que se vote nos melhores, só não diz quem são os melhores para um povo que vende o voto para corruptos.
Em sua aparição na Globonews, como se fosse um artista de cinema ou um astro do futebol, fala do fim da Lava Jato, mas deixa bem claro que ela só acaba se os brasileiros melhorarem o Congresso Nacional nas urnas. Ele parece que quer continuar com seus espetáculos e não resolver de fato o problema de combate e prevenção da corrupção, pois trabalha como um cabo eleitoral, e efetivamente não prendeu ninguém que foi delatado ligado aos tucanos, demistas e peemedebistas (com exceção de Cunha, que ninguém sabe de fato se realmente ele …