Pular para o conteúdo principal

O novo bourrage de crâne de Aécio Neves

Por Genaldo de Melo


Não passou despercebido o discurso dos representantes de partidos políticos e representantes do governo, a preocupação em avaliar as primeiras grandes manifestações populares, que ocuparam as ruas do Brasil, contra o novo governo instalado na força política de um Congresso conservador, e sem compromisso com as regras democráticas, que estabelece que no Brasil o poder político deve ser exercido pelo voto popular.

Antes disso, necessariamente dois fatores chamaram a atenção da Opinião Pública. Primeiro foi a opinião em editoriais dos dois maiores jornais do país, a Folha de São Paulo e o Estadão, que prevendo que  povo e os movimentos sociais iriam e vão paras as ruas, resolveram classificar como criminosa todas as manifestações, bem como aconselhar que o governo tome providências na base da “porrada”.

Em segundo lugar, foi a opinião do próprio atual Presidente da República, que disse que as manifestações não passariam de 40, 50 ou 100 pessoas, que como depredadores de patrimônio público não mereceriam muita atenção. Além de provavelmente também merecerem “porrada”.

Para surpresa do presidente e dos jornais, somente na Avenida Paulista, apareceram espontaneamente mais de 100 mil pessoas. E é lógico que isso se torna motivo de preocupação. Mas chamou a atenção a opinião de dois expoentes do novo projeto político que pretende governar a nação a partir de agora, bem como se coloca com alternativa de projeto para 2018: Henrique Meirelles e Aécio Neves.

Henrique Meirelles, talvez o sujeito que mais vai se tornar telhado de vidro no governo de Michel Temer, pois ficará responsável direto por todas as ações impopulares (já que Temer tem dado demonstrações claras de que não enfrenta as câmeras, e nem a Opinião Pública), minimiza a situação, e diz que as manifestações apesar de impressionar pelo tamanho, não incomoda porque faz parte da democracia. Não é nenhum exagero dizer que ele vai descobrir isso depois que colocar no Congresso Nacional as reformas previdenciárias e trabalhistas, e o povo de fato descobrir a verdade por trás da mentira.

O outro sujeito que também opinou sobre as manifestações das ruas foi o “bom vivant”, que é senador por Minas Gerais, mas mora em Copacabana, no Rio de Janeiro, Aécio Neves. Este tenta imputar a tese, ao modo “bourrage de crâne’ de que as recentes manifestações do povo nas ruas é apenas um fenômeno passageiro, e que com o tempo elas naturalmente serão esvaziadas. Não é exagero nenhum dizer para este, que ele como formador de opinião está tentando persuadir os seus com informações erradas para tranqüilizá-los, pois como a história é a prova dos nove, ele deveria reler a própria, pois em todos os momentos em que os brasileiros foram prejudicados politicamente, eles reagiram. E não vai ser agora que vão fraquejar!

Uma coisa foi derrubar o governo com o voto de 513 deputados federais e 81 senadores, porque eles foram eleitos para decidir certo ou errado segundo suas consciências individuais, outra coisa é aquietar quem de direito pode protestar nas ruas contra quem está lhes prejudicando!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …