Rápido na artilharia Cunha já apresenta a primeira importante denúncia contra membros do Governo ilegítimo de Temer


Por Genaldo de Melo
Bem que Roberto Requião falou recentemente que a história do ex-deputado federal Eduardo Cunha não havia acabado naquele momento em que se cassou o mandato dele! E como ele deve saber de muitas coisas escondidas nos bastidores dos esquemas sujos da turma do PMDB, e também está com muita raiva por causa da traição dos seus, ele agora começou a fazer suas delações em público para todo mundo ver.


O primeiro a ser atingido é exatamente o sujeito que para todo mundo foi o principal responsável por trabalhar nos bastidores de Brasília para “degolar” o bode expiatório Cunha, o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Moreira Franco. Pelo visto a situação não deve ficar boa para o assessor de Michel Temer, porque a língua de um homem ressentido como Eduardo Cunha pode ser bastante ferina para lhe fazer um estrago político sem precedentes.


Em entrevista ao Estadão neste fim de semana, Eduardo Cunha acusou o braço direito de Temer de estar por trás de irregularidades na operação para financiar obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. Segundo Cunha, o programa de concessões do governo Temer, que está sob responsabilidade de Moreira Franco, "nasce sob suspeição". "Na hora em que as investigações avançarem, vai ficar muito difícil a permanência do Moreira no governo", afirmou. Cunha também acusou Moreira Franco de atuar em irregularidades no Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FI-FGTS), da Caixa.


Naquele ninho de serpentes de codinome PMDB tem tanto veneno peçonhento que mataria milhões de elefantes brancos. E como brincaram de dá poder demais a um homem medíocre da estatura de Cunha, agora eles devem provar nas próprias veias o gosto desse mesmo veneno que eles colocam nas veias dos outros. E Eduardo Cunha pelo andar da carruagem vai fazer o que sempre fez como o mestre que sempre foi,  vai matar em doses exatas e aos poucos todos aqueles que o vestiram de roupas de bode e o colocaram na sala de estar. Quem viver verá!

Comentários