Pular para o conteúdo principal

Sensacional, pedalada fiscal não é mais crime!

Por Genaldo de Melo
Michel Temer antes de viajar para a China deixou claro que como agora ele é quem manda no país, não quer mais que ninguém, absolutamente ninguém mesmo, lhe chame de golpista. Mas naturalmente que qualquer indivíduo ou grupo político que chega a condição de exercer o poder político sem seguir a rota correta como reza a Constituição Federal, isso significa golpe. Michel e sua turma derrubaram Dilma sem provas de crime.

O que eles consideram crime para ela agora é perfeitamente aceitável para o novo inquilino do Palácio do Planalto. E isso não é golpe para ele! Como fundamento para derrubar “politicamente” Dilma Rousseff no processo de impeachment, adotaram no Congresso Nacional o discurso de que a abertura de créditos suplementares com base no superávit financeiro dos exercícios anteriores constituía-se automaticamente violação da meta primária, considerado um atentado à Constituição Federal, tese refutada pela defesa de Dilma e não aceita pelos senadores.

Mas agora com a Lei 13.332/2016, que altera o inciso XXXII do Artigo 4º, da Lei do Orçamento, legitima expressamente a prática das chamadas pedaladas fiscais para Michel Temer. Ou seja, pedalada fiscal era crime de “lesa majestade” para Dilma, enquanto hoje poucos dias depois de sua cassação Michel Temer pode fazer isso, que não vai ser considerado mais crime.

Para o professor de direito da Universidade federal do Rio de Janeiro, Ricardo Lodi, que foi testemunha de defesa de Dilma, a sanção e publicação da mudança na legislação só comprova que o Congresso Nacional nunca considerou irregular as práticas pelas quais a ex-presidente da República foi acusada. A nova lei somente reforça a tese de milhares de brasileiros de que a petista foi afastada sem nunca ter cometido crime de responsabilidade. Ou seja, ela foi afastada via golpe sujo contra a democracia, coordenado pelo senhor Michel temer e sua turma, que durante quatros eleições seguidas não vence nas urnas.

Nesse sentido, o Congresso Nacional que nunca considerou as condutas supostamente praticadas por Dilma como ilícitas, depois que a derrubou “politicamente”, passa considerar descaradamente tal conduta como absolutamente legitimada. Ou seja, até quarta-feira (31/08) consideravam isso crime, hoje é uma conduta absolutamente admitida para Michel Temer.

O que é estranho, absolutamente inaceitável, absolutamente monstruoso para nossa democracia, é o silêncio que reina na grande mídia desde a sanção da referida lei, depois do impeachment. Apenas os jornais, sites e blogues alternativos vem noticiando esse grave incidente do Congresso Nacional. As supostas pedaladas de Dilma foram escandalosamente tratadas como crimes durante vários meses, e agora em poucos dias que estupraram a Constituição Federal vive-se um silêncio do Saara.


Como não considerar golpista um homem que vai fazer exatamente tudo aquilo que foi matéria de discurso de acusação para chegar ao poder pela via indireta? Golpista como sempre golpista, vai começar a sentir as manifestações de rua de “40 ou 50” manifestantes contra seu governo! Morda meu dedo que não dói golpista!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

Por Genaldo de Melo A Rede Globo sempre esteve envolvida nas tentativas de apresentar para a sociedade brasileira candidatos à presidente que representassem a possibilidade de a pequena minoria conservadora e dona dos meios de produção do país tomassem conta do Estado e ficassem no controle dos recursos dos cofres públicos. Mas nunca essa rede de comunicação com concessão pública escancarou tanto na suas escolhas com fez nesse final de semana com a participação de seu funcionário Luciano Huck no programa televisivo de maior audiência do país em um domingo à tarde.
Luciano Huck, que numa contradição além dos limites para um sujeito que aconselha publicamente a seriedade, a honestidade e o combate à corrupção dos homens públicos, demonstrou que além de falta de seriedade dele próprio já que havia desistido publicamente de candidatura, também demonstrou que a Rede Globo resolveu entrar de vez na disputa para ter um nome na Presidência da República para chamar de seu.
E mais grave ainda, par…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Por Genaldo de Melo O procurador da República em Curitiba, um dos coordenadores da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, parece que compreendendo que o povo brasileiro é um dos mais despolitizados do mundo, tanto que escolhe sempre os piores para serem representantes no Congresso Nacional, quer que para se terminar com a Operação de vez em 2018, orientar para que se vote nos melhores, só não diz quem são os melhores para um povo que vende o voto para corruptos.
Em sua aparição na Globonews, como se fosse um artista de cinema ou um astro do futebol, fala do fim da Lava Jato, mas deixa bem claro que ela só acaba se os brasileiros melhorarem o Congresso Nacional nas urnas. Ele parece que quer continuar com seus espetáculos e não resolver de fato o problema de combate e prevenção da corrupção, pois trabalha como um cabo eleitoral, e efetivamente não prendeu ninguém que foi delatado ligado aos tucanos, demistas e peemedebistas (com exceção de Cunha, que ninguém sabe de fato se realmente ele …