Não se pode comparar o inesquecível Ulysses Guimarães ao infiel mordomo do terror

Por Genaldo de Melo
Confesso que fiquei um pouco estonteado ao ler tanta falsidade no artigo que Michel Temer fez questão de escrever hoje (06/10) para homenagear o grande Ulysses Guimarães, como se ele pudesse chegar ao menos ao ponto de se comparar mesmo que distante daquele grande líder da Constituição Federal de 88.

Dizer que ao ver pela primeira vez Ulysses Guimarães discursar apenas para quarenta pessoas com tanto entusiasmo em 1972, e vê-lo liderando os contrastes na promulgação da Constituição Federal em 1988, fez com ele desse um norte em sua vida, é de uma barbaridade que chega aos limites.

Falar de honestidade, retidão, firmeza de propósito, austeridade e caráter que Ulisses Guimarães teve em sua vida pública, como se ele mesmo tivesse isso, é fazer a gente que está acompanhando tanta impopularidade dele exatamente por tudo ao contrário, no mínimo cair na gargalhada.

O que Michel Temer deveria fazer era escrever um artigo, nesse dia de hoje em que Ulisses Guimarães se vivo estivesse completaria 100 anos, pedindo perdão pelo o que ele fez com o partido que o grande líder ajudou a criar, que se tornou um partido de usurpadores golpistas da pior espécie que existe. Talvez com isso, lembrando do grande líder que realmente tinha honestidade, retidão, firmeza de propósito, austeridade e caráter, ele pudesse aumentar um pouco sua popularidade.


Michel Temer deveria lembrar que Ulysses Guimarães se elegeu por 11 vezes deputado federal porque tinha votos e o respeito dos cidadãos, e nem de longe pode se comparar a ele que traiu a confiança de mais 54 milhões de cidadãos que elegeram Dilma Rousseff e ele como vice. Para falar de Ulysses Guimarães ele deveria ter vergonha...!

Comentários