O extraordinário erro de Marina Silva é querer ser o centro do mundo

Por Genaldo de Melo
Marina Silva, é uma figura política interessante, surgiu como uma promessa de renovação política com o discurso da defesa na chamada “nova política”, mas quando foi escolher quem apoiava no segundo turno das eleições presidenciais de 2014, escolheu exatamente um grupo político que nada tinha a haver com o seu discurso.

E a escolha de apoiar Aécio Neves, no segundo turno, foi uma escolha estritamente pessoal como comprova os intelectuais que estão deixando o partido exatamente por suas posturas personalistas e autoritárias. Ou seja, Marina Silva apresentou-se como mudança de postura, mas na prática demonstrou ser puramente oportunista, o que fez com que o seu Partido REDE não lograsse êxito nas últimas eleições municipais.

Depois dos erros políticos que ela mesma cometeu, agora aparecesse de novo em cena como se nada tivesse acontecido e diz abertamente nas entrelinhas que quem está errado são os que saem do partido deixando-a sozinha a ver navios.

Se Marina quisesse ser Presidente da República ela teria que ser coerente com o que sempre foi no passado sua história, mas ela mudou feito camaleão e passou já nas últimas eleições a defender a tese aberta de Estado Mínimo, e dos interesses de quem provavelmente financiou sua campanha.

Estes se fossem seus amigos deveriam aconselhar a ela que se quiser começar que comece do zero, que vá ser no mínimo detentora de uma mandato, mais precisamente que seja candidata a deputada para que a sociedade brasileira possa ver sua postura política na prática.


Desse modo, ela terá balizamento para que depois construa as condições para chegar a Presidência da República, porque por enquanto nada do que ela está fazendo está dando certo, ou seja, nunca vai ser Presidente da República sendo a pessoa centralizadora, personalista e autoritária, porque ninguém é boi para carregar a carga dos outros. Política é fácil somente para quem sabe coordenar politicamente grupo, e pelo visto ela não sabe!

Comentários