O revolucionário FHC pode voltar a ser Presidente da República

Por Genaldo de Melo
Segundo a jornalista Mônica Bergamo, com a eminente possibilidade da queda do governo “ilegítimo” de Michel Temer, em decorrência da delação premiada acertada nessa semana entre a justiça e a Odebrecht, setores políticos tanto do campo conservador como do campo mais progressista do país, vêm pensando na possibilidade de um nome que pode ser o próximo Presidente da República, na condição de mandato tampão para fazer a transição política até 2018.

A situação poderia ser considerada normal, pois se Michel Temer sair da presidência, necessariamente um novo presidente deve assumir o processo. O que causa preocupação é que entre os nomes cogitados para serem eleitos de forma indireta pelo Congresso Nacional, a prioridade vem sendo colocada no nome de  Fernando Henrique Cardoso.

Provavelmente seria mais um novo desastre político para o país, caso um homem que teve um governo considerado um dos mais corruptos da história política do país, pudesse ser eleito indiretamente para preparar o caminho para a volta do PSDB. Pensar nisso não passa nada mais nada menos do que uma verdadeira falta de respeito com os brasileiros!

Provavelmente com uma situação dessa natureza sendo consolidada pelo Congresso Nacional, seria mais uma vergonha para um país que bem recentemente estava entre as nações mais promissoras do mundo, e do ponto de vista da geopolítica mundial tinha vez e voz. Seria o mesmo que dizer que o Brasil não tem ninguém para governar e precisa de um idoso que já deveria a muito tempo deixar o povo em paz e descansar em sua aposentadoria.

Nada contra os idosos! Mas FHC governar o Brasil na sua idade com tantos outros jovens políticos é a mais descarada falta de respeito conosco, que já estamos literalmente sofrendo com essa crise política, e sabemos que ele não terá capacidade de aglutinar forças para acalmar o país. O máximo que ele poderia fazer seria criar mais condições para aumentar o “maremoto” político por qual passamos.


Escrever final de semana e opinar sobre os desígnios da nação brasileira é uma coisa, mas governar um país na sua idade, com seu histórico passado e com suas relações com gente que não consegue agregar politicamente ninguém, seria o prenúncio do cúmulo do absurdo para acontecer no país. Graças à Deus que isso é somente cogitação de gente que parece que tem resistência à raciocínio, e muito provavelmente age de modo visceral no mundo político!

Comentários