O revolucionário método para tirar o PT do poder pela Lava Jato não serve mais para as aves de "bicos grandes" de Curitiba

Por Genaldo de Melo
Para os inocentes “midiotas” que acreditaram na Rede Globo de que a Operação Lava Jato, coordenada pelo juiz Sérgio Moro, era prá combater a corrupção, e não em função de um projeto político da direita para tirar o poder das mãos da esquerda, especialmente do PT, a prova está aí para todo mundo ver, a Polícia Federal não quer mais delações premiadas de ninguém, pois agora pode pegar alguém que eles colocaram no poder. Como não tem mais quem tirar do poder pois já cumpriu sua finalidade política, a não ser que queira prender Lula agora, o que pode não ser interessante para ninguém da direita, pois para alguns isso somente deve ser feito perto de 2018 (melhor dizendo, somente mexer com Lava Jato perto de 2018), descaradamente vão abandonar tudo o que vinham fazendo até agora. Republico o texto de O Cafezinho de autoria de Pedro Breier que fala muito melhor a respeito disso do que eu:

PF não quer mais delações na Lava-Jato



Por Pedro Breier, no blog Cafezinho:

PF se opõe a novas delações premiadas na Lava Jato’ é o título de uma matéria na Folha de hoje.

Dois dias depois das eleições, com o consórcio golpista ainda comemorando o sucesso da sua empreitada de destruição do PT, a Lava Jato, através da PF, anuncia que não quer novas delações.

É lógico que não quer, o serviço já foi entregue.

Para que mais delações, não é mesmo? Melhor deixá-las para uma data mais próxima às eleições de 2018…

As justificativas são risíveis.

Justamente dois dias após a eleição e após dois anos de uso intensivo das delações como método de investigação e de interferência na política nacional os integrantes da PF do Paraná concluem que ‘já foi recolhido material suficiente ao longo dos dois anos e sete meses em que a operação está em curso para que apurações próprias sobre o esquema de desvios na Petrobras sejam feitas, sem precisar de ajuda de delatores’.

Depois de nada menos que 66 acordos de delação premiada, ‘membros da PF destacam que a sensação de impunidade perante a sociedade irá aumentar caso mais colaborações sejam fechadas com a Justiça’.

Eles sabem que a narrativa de que a Lava Jato vai salvar o Brasil da corrupção (ou seja, do PT) já está consolidada em grande parte da população, e é isso o que lhes permite esse tipo de postura.

Segundo a matéria, Moro ‘compartilha da mesma preocupação’ e ‘vem sinalizando a investigadores da Lava Jato que nenhum preso será liberado automaticamente se sua delação for homologada’.

Agora vejam este outro trecho da reportagem:

Em conversas reservadas, pessoas ligadas a Odebrecht afirmam que a posição da PF contra delação premiada teria relação com algum movimento do governo Michel Temer, já que integrantes da cúpula do PMDB, incluindo o presidente, são mencionados no acordo com a empreiteira (que está em negociação). A PF, porém, nega qualquer diálogo ou influência do governo.

Se confirmadas as acusações teríamos um escândalo de proporções épicas.

Mas com certeza você não verá manchete em capa de jornal sobre o governo golpista tentando ‘obstruir a Justiça’.

A imprensa chapa branca vai se fingir de desentendida e ignorar esta gravíssima acusação, como acostumou-se a fazer quando escândalos envolvem seus aliados políticos.

O PT derreteu nas urnas muito por seus próprios erros, principalmente ao ser uma presa dócil para o massacre midiático-judicial que sofre há anos.

Mas é um absurdo termos o nosso processo eleitoral deturpado brutalmente pela atuação da mídia - que controla a comunicação do Brasil inconstitucionalmente - e de uma “Justiça” vergonhosamente partidária: na semana anterior às eleições, ocorreu mais uma saraivada de ataques do consórcio midiático-judicial ao PT, como acontece há no mínimo 10 anos.

Os limpos e probos PMDB e o PSDB controlam o Executivo e o Congresso.

O cartel midiático e a “Justiça” são da direita.

Tá tudo dominado.

Por enquanto, porque a direita no poder significa invariavelmente corte de direitos, salário mínimo baixo, desemprego alto e venda do patrimônio público. São pressupostos da ideologia econômica que eles defendem.

Cabe à esquerda, portanto, preparar-se para não cometer os mesmos erros do PT quando vencer o golpismo e retomar o poder, o que mais cedo ou mais tarde ocorrerá.

Comentários