A verdade sobre os papagaios faladores que imitam o tempo de Napoleão Bonaparte

Por Genaldo de Melo
Magistralmente Luís Nassif para demonstrar como está funcionando a mídia do Jornalismo da Obediência no Brasil, relembrou o artigo de Hugo Victor Soares, publicado em tempos recentes na Tribuna da Bahia, em que demonstra que a imprensa familiar trabalha pautando a política, e se adaptando sempre ao poder, por isso que foi comparada com a época de Napoleão Bonaparte.

“Quando Napoleão fugiu da Ilha de Elba e desembarcou no Golfo Juan, o jornal mais importante da França escreveu em sua manchete principal: ‘O bandido corso tenta voltar à França’. Quando o bandido corso alcançou o meio caminho de Paris, o mesmo periódico escrevia: ‘O general Bonaparte continua sua marcha rumo à Paris’. Quando o General Bonaparte se encontra a um dia de Paris, o jornal dizia: ‘Napoleão segue sua marcha triunfal’. Quando Napoleão entrou na capital de seu império perdido, o periódico arrematou o processo de sua informação com esta manchete: ‘Sua Majestade o imperador entrou em Paris, sendo entusiasticamente recebido pelo povo".

Alguma dúvida em relação ao papel de parcialidade e do papel político da Rede Globo, da revista Veja e dos jornalões feitos papagaios? Alguma dúvida sobre o conceito de jornalismo como prática da comunicação da verdade dos fatos, e sobre propaganda política propriamente dita?


Aos poucos se não cair antes com a operação Lava Jato no encalço de membros do PMDB, Michel Temer vai se transformando em vez de golpista e usurpador da democracia em grande herói dos 10% da população mais rica desse país, e o resto dos 90% da massa populacional vai sendo envenenada ou enfeitiçada pelas mentiras repetidas várias vezes ao modo da comunicação nazista.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

O Pitbull de Eduardo Cunha finalmente levou uma mordida