Pular para o conteúdo principal

É fácil elaborar uma carta de demissão, Ministro!

Por Genaldo de Melo
Em tempos de turbulência política em que vive o país quaisquer fagulhas ou pequenos detalhes em erros cometidos por membros da classe política brasileira são motivos para que se virem sementes de amplas discussões entre os diversos membros em disputas dos dois lados, situação e oposição, bem como motivo para sensacionalismo no jornalismo político e meio da fofoca política que “rola solta” no país.

Entre os vários membros da classe política que foram alvos de escândalos a partir de fatos e a partir da chamada “convicção” ou o domínio de fato, foram os petistas que a imprensa do Jornalismo da Obediência escolheu desde os resultados das ultimas eleições presidenciais para assassinar as reputações e eliminá-los politicamente nas urnas.

Mas pelo visto o foco mudou, porque tudo que os membros da direita brasileira queriam era Lula preso, e pelo visto não vão conseguir isso tão facilmente, porque Lula mesmo disse que o que ele mais queria quando entrou na política era ser respeitado no mundo, e para isso ele deveria sempre manter uma reputação ilibada.

Com o foco mudado quem entrou no olho do furacão, ainda não foram os "amigos" tucanos que esbravejam que nunca estiveram envolvidos em corrupção, como se todos os membros do povo fossem despidos de memória. Agora a espada afiada de Musashi está voltada para os membros do PMDB, partido fisiológico que independentemente do governo e de sua matiz ideológica está sempre lá perto para chantagear e manter suas estruturas de poder, porque sempre eleitoralmente eles têm maioria no Congresso Nacional.

Esquecendo Romero Jucá, porque ele como artífice de muitas coisas que não prestam nesse país, cavou sua própria cova, recentemente foram Sérgio Cabral e Anthony Garotinho a serem abatidos. Porém o mais novo membro do clube das velhas raposas políticas que alardeiam moral e ética na política é Geddel Vieira quem está diante das lâminas afiadas do consenso da queda. Exatamente um baiano para que se volte a lembrar da truculência e da capacidade de ludibriar politicamente o Brasil que tinha ACM.

Geddel está fazendo a mesma coisa em si que políticos que foram motivos de escândalos e premissas para o jornalismo político do sensacionalismo e do escândalo de fato nesse país fizeram no passado, em que a direita esteve no poder com mãos de ferro, ou seja,  utilizar as prerrogativas dos cargos que detém para angariar benefícios para si mesmo e para o grupo político de que faz parte. 

Essa pressão feita contra o ex-ministro Marcelo Calero para que o IPHAN liberasse uma obra em Salvador que segundo as regras técnicas estavam em foco de ilegalidade, provavelmente pode ser apenas o olho do furacão. Prova disso é que apesar de toda a oposição e do próprio Jornalismo da Obediência trabalharem claramente para que o mesmo "largue o osso" antes de coisa pior, o próprio Presidente “ilegítimo” da República, Michel Temer não o demite.

Como existe nas entrelinhas do esoterismo político do país uma diáfana noção da derrubada eminente de Michel Temer para que eleições indiretas possam acontecer antes que Lula possa ganhar as eleições de 2018 de forma direta nas urnas, e provavelmente depois que Michel Temer resolva logo a questão das reformas neoliberais, bodes expiatórios serão necessários. E Geddel já é naturalmente esse bode na sala.

Se Geddel compreender que o tempo dele chegou, e que ele deve se preservar dos tiros de canhões que ainda poderão vir por aí na frente, ele provavelmente tomaria a decisão melhor prá ele e voltaria para sua casa em Salvador em tempo. Porque o apartamento de Lula é apenas um fenômeno de "convicção" do Ministério Público e o seu apartamento é de fato!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

Por Genaldo de Melo A Rede Globo sempre esteve envolvida nas tentativas de apresentar para a sociedade brasileira candidatos à presidente que representassem a possibilidade de a pequena minoria conservadora e dona dos meios de produção do país tomassem conta do Estado e ficassem no controle dos recursos dos cofres públicos. Mas nunca essa rede de comunicação com concessão pública escancarou tanto na suas escolhas com fez nesse final de semana com a participação de seu funcionário Luciano Huck no programa televisivo de maior audiência do país em um domingo à tarde.
Luciano Huck, que numa contradição além dos limites para um sujeito que aconselha publicamente a seriedade, a honestidade e o combate à corrupção dos homens públicos, demonstrou que além de falta de seriedade dele próprio já que havia desistido publicamente de candidatura, também demonstrou que a Rede Globo resolveu entrar de vez na disputa para ter um nome na Presidência da República para chamar de seu.
E mais grave ainda, par…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Por Genaldo de Melo O procurador da República em Curitiba, um dos coordenadores da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, parece que compreendendo que o povo brasileiro é um dos mais despolitizados do mundo, tanto que escolhe sempre os piores para serem representantes no Congresso Nacional, quer que para se terminar com a Operação de vez em 2018, orientar para que se vote nos melhores, só não diz quem são os melhores para um povo que vende o voto para corruptos.
Em sua aparição na Globonews, como se fosse um artista de cinema ou um astro do futebol, fala do fim da Lava Jato, mas deixa bem claro que ela só acaba se os brasileiros melhorarem o Congresso Nacional nas urnas. Ele parece que quer continuar com seus espetáculos e não resolver de fato o problema de combate e prevenção da corrupção, pois trabalha como um cabo eleitoral, e efetivamente não prendeu ninguém que foi delatado ligado aos tucanos, demistas e peemedebistas (com exceção de Cunha, que ninguém sabe de fato se realmente ele …