Lançado finalmente um importante ataque de Lula contra o judiciário político

Por Genaldo de Melo
Não poderia deixar de ser diferente do que Lula fez hoje protocolando uma queixa-crime subsidiária contra o juiz federal Sérgio Moro, pela prática de abuso de autoridade, porque todos entendem que este último não poderia ser tão parcial em suas atividades judiciais contra o ex-presidente sem provas. Deveria está procurando prender a todos os políticos independente de que partido político façam parte, que vêm sendo denunciados na Operação Lava Jato, que ele mesmo coordena. Já está dando muito na vista, pois se realmente houvesse uma prova que incriminasse Lula, esse juiz pelo visto já teria ostentado isso em Curitiba, com apoio da mídia também parcial no país.

Então Lula através de seus advogados fez a coisa certa, pois ele somente pode ser preso com provas concretas, não com “convicções" pessoais de que recebeu um sítio, um apartamento, uns pedalinhos, um barco de lata, um Itaquerão, e agora uma piscina num prédio público. Isso está mais do que claro, é perseguição política de um grupo político do judiciário brasileiro que deveria fazer justiça e não política.

Foram muitos os fatos que comprovam que os limites estão sendo atingidos, e o povo aos poucos está deixando de ser massa, e voltando exatamente a ser povo para perceber as perseguições, porque desde que Lula deixou a Presidência da República que procuram incriminá-lo de qualquer coisa, e não encontram provas. 

Somente este ano foram os seguintes os fatos principais: a condução coercitiva do ex-Presidente, para prestar depoimento perante autoridade policial, privando-o de seu direito de liberdade por aproximadamente 6 (seis) horas; a busca e apreensão de bens e documentos de Lula e de seus familiares, nas suas respectivas residências e domicílios e, ainda, nos escritórios do ex-Presidente e de dois dos seus filhos (diligências divulgadas pela mídia na forma de escândalo); e a interceptação das comunicações levadas a efeito através dos terminais telefônicos utilizados pelo ex-Presidente, seus familiares, colaboradores e até mesmo de alguns de seus advogados, com posterior e ampla divulgação do conteúdo dos diálogos para a imprensa.

Se isso não é abuso de autoridade judicial e "política" sendo literalmente feita por quem não pode fazer política segundo as regras constitucionais, o que é política então? Lula não fez mais do que utilizar seu próprio direito de procurar também a justiça, pois estamos diante de uma situação de exceção no país, com tantos escândalos contra membros do PSDB e do PMDB, e nada da Lava Jato e do Ministério Público tomarem uma postura, somente a postura da perseguição e do assassinato da reputação de Lula. Lula fez correto, senão...!

Comentários