Otto Alencar, a Previdência e o Governo da Bahia

Por Genaldo de Melo
Hoje pela manhã o senador baiano Otto Alencar (PSD) concedeu uma entrevista ao radialista feirense Dilson Barbosa, da radio Sociedade FM, em que falou principalmente de duas coisas que precisavam ser ditas por ele, depois que votou em primeiro turno na PEC 55 contra a vontade da maioria de seus eleitores.

A primeira foi sobre a proposta do governo de reforma da Previdência, quando ele disse que da forma que ela foi apresentada não passa nem na Câmara dos Deputados e nem no Senado Federal. Porém como existe a necessidade de mudança, o governo apresentou a proposta com "gorduras" para que os parlamentares possam mudar a mesma através de emendas. Muito enigmático isso!

O segundo assunto de que tratou foi sobre as eleições de 2018. Na opinião dele Rui Costa tem o direito de reeleição, e tem totalmente seu apoio, mas deixando nas entrelinhas que espera em Deus que nada mude. Mas enigmático ainda, quando rumores dão conta de que provavelmente o candidato da situação pode ser Jacques Wagner, e do mesmo modo, algumas vozes políticas colocam o nome dele no jogo.

Em relação à estapafúrdia proposta de reforma da Previdência, com os absurdos colocados pelo governo, principalmente em relação a exigência de 49 anos de quitação para ter direito ao benefício completo, caso Otto vote a favor da mesma sem propor mudanças no texto, definitivamente trairá a maioria de seus eleitores na Bahia.

Com relação às eleições de 2018, ficou nas entrelinhas de suas considerações na entrevista o exemplo que deu em relação ao Michel Temer, que disse está vacilando com a queda de tantos ministros, e como exemplo de boas escolhas deu foi de seu antigo aliado, que foi Antonio Carlos Magalhães, que em três governos na Bahia somente mudou três secretários. Colocar as barbas de molho não faz mal a ninguém...!

Comentários