Pular para o conteúdo principal

A incrível e vergonhosa favela de Feira de Santana


Por Genaldo de Melo
Expressar uma opinião sobre determinado tema, ou sobre uma situação que incomoda, e que absolutamente não concordamos, é muito difícil, e até mesmo perigoso, quando estamos sob o jugo político de forças políticas que não discutem abertamente com a população os assuntos municipais. Isso porque naturalmente surgem logo os especuladores de plantão para dizer que estamos em função de algum projeto de outros grupos políticos. Mas mesmo assim, algumas coisas devem ser ditas, independente da opinião de quem não concorda com a nossa, porque é da prerrogativa da democracia.

A Avenida Marechal Deodoro, no Centro Comercial de Feira de Santana é uma verdadeira favela a céu aberto. É tamanha a confusão e a sujeira daquilo ali, que parece que estamos numa Babilônia, com alguns ingredientes a mais na história. Quem ali trabalha e quem por ali passa, e além disso, quem consome os produtos em venda no local, não merece tanto desprezo e tanta desorganização.

Politicamente não temos nada contra ninguém, até porque não somos candidato a nada nas próximas eleições para que alguém possa nos acusar de nada. Aliás, nem conhecemos inclusive quem é o responsável no município pela administração daquele importante espaço comercial de nossa cidade. Do mesmo modo, somos plenos defensores da geração de emprego e renda, do mundo do trabalho, como várias pessoas estão fazendo naquele espaço, criando seu sustento e de suas próprias famílias.

O que literalmente não concordamos é com a falta de organização, porque cartão-postal da cidade não são apenas o mercado de artes, os viadutos e a Avenida Getúlio Vargas. O comércio de Feira de Santana é um grande cartão-postal para todo o Nordeste brasileiro, e todo mundo sabe muito bem disso. Então alguém deve pensar numa solução viável para pelo menos padronizar e organizar a Avenida Marechal, porque convenhamos daquele jeito que está, nem feirantes e comerciantes locais concordam.

Outras cidades parecidas com a nossa Feira de Santana já tomaram a postura política e técnica, e resolveram o problema parecido. Muitas recorreram às agências de cooperação, apresentaram bons projetos viáveis e tiveram aprovação, tanto das mesmas como dos parlamentos locais, que compreenderam a importância de organizar o comércio e as feiras livres, e do mesmo modo, não deixar nenhum barraqueiro informal sem o seu sustento.

Todos os cidadãos feirenses querem e esperam que a Prefeitura Municipal e seus responsáveis possam apresentar a solução para acabar com aquela situação que mais parece uma favela a céu aberto, bem no Centro da cidade, e de fato possa ser feito nos próximos quatro anos para resolver esse problema de nossa cidade. Porque entendemos que aquele problema da Avenida Marechal pode ser resolvido, sem que necessariamente nenhum barraqueiro ou feirante seja enxotado, e fique ao Deus dará..., sem emprego e sem renda suficiente para sobreviver economicamente.

Não precisamos de favelas urbanas, e principalmente em nosso importante comércio, precisamos de solução. E capacidade técnica para apresentar uma solução prática para aquele sério problema não nos falta, basta vontade política e amor pela nossa cidade! E que se pare definitivamente com soluções somente como discurso para vencer eleições...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …