Rápido no gatilho Rui Costa apresenta seu primeiro passo importante rumo a 2018

Por Genaldo de Melo
O Governador da Bahia Rui Costa (PT) tem se destacado como um grande administrador, e sua equipe de comunicação, marketing e propaganda tem conseguido passar para a população o trabalho que vem sendo feito de forma séria e transparente, e sem resquícios de sensacionalismos que caracterizam grande parte dos administradores pelo Brasil afora. Vem trabalhando e demonstrando à população a seriedade que caracteriza seu governo sem mentiras e arroubos de megalomania política. 
Nesse momento em que ele realizou sua primeira grande reforma administrativa, mais do que nunca ele acertou em cheio em suas intenções, pois contemplou grupos políticos que estavam sendo assediado pelo grupo que governa a capital baiana, bem como conseguiu dessa forma prestigiar o segundo maior colégio eleitoral, que é Feira de Santana, mantendo no governo Jerônimo Rodrigues, na Secretaria de Desenvolvimento Rural, e trazendo para o mesmo o deputado federal, Fernando Torres, na Secretaria de Desenvolvimento Urbano.
Sem dúvida também o grande passo que foi dado por Rui Costa foi trazer para o governo o nome do ex-governador, Jacques Wagner, para ajudá-lo tanto no processo de sua administração, que tem sido de excelência, como também para ajudá-lo a fazer política propriamente dito, como vinha sendo exigências de algumas lideranças.
Quem achava que poderia se aproximar de 2018 e Rui Costa continuar apenas fazendo um trabalho excelente na administração do Estado, e esquecer um pouco do campo da política como “coisa em si”, a resposta foi dada, e de forma muito bem feita, porque agora o governador não apenas tem seus quadros da política para ajudá-lo, agora ele tem mais dois nomes de peso para sobrepujar os interesses do prefeito da capital baiana, que tem claros interesses de participar da disputa pelo governo do Estado em 2018.
Foi uma jogada de mestre ter em sua órbita Jacques Wagner e o Senador Otto Alencar, porque o colocará muitos anos luzes à frente do grupo político que lhe faz oposição na Assembléia Legislativa, bem como nos municípios aonde alguns pensam que derrotarão nas urnas o mesmo nas eleições de 2018. 
Como eleição é sempre uma caixinha de surpresa, e ganha quem mais consegue imprimir uma marca de trabalho, e de bom relacionamento com os cidadãos, é bom que alguns quadros da política baiana que estão em torno do presidente mais impopular que Republica brasileira já teve, e que fazem oposição ao governador Rui Costa, tomem muito cuidado porque provavelmente Rui Costa sendo de novo candidato consegue sua reeleição, e ainda leva consigo as duas vagas para o Senado da República, e ainda a maioria como sempre na Assembléia Legislativa. É a política!

Comentários