Pular para o conteúdo principal

A grandeza de Nassar e a pusilanimidade do Ministro

Por Genaldo de Melo

Em qualquer nação do mundo que se preze, e que tenha a seriedade como ponto de partida para administrar as questões de políticas culturais, o cargo do representante principal, ou seja, o Ministro da Cultura, é sempre exercido por um intelectual ou por um ativista do mundo cultural que conhecem os meandros dos setores culturais, que sabem das necessidades do desenvolvimento cultural e artístico propriamente dito.

No Brasil depois do golpe parlamentar que tirou Dilma Rousseff do cargo de presidente (porque foi um golpe contra a democracia, apesar de alguns indivíduos e grupos políticos assumirem o discurso de que tudo foi constitucional), o Ministério da Cultura está sendo exercido por um indivíduo oportunista, que de política cultural não entende é de nada.

Nos últimos governos no Brasil o cargo de Ministro da Cultura, mesmo sendo indicação política, sempre foi exercido por alguém preocupado em fazer com que a cultura fosse levada a sério. Nos governos de FHC, Lula e Dilma Rousseff todos os representantes principais da Cultura foram ou intelectuais de renome na sociedade ou ativistas da área cultural. O auge realmente foi com Juca Ferreira e Gilberto Gil, quando o Ministério da Cultura cumpriu um papel que nunca antes havia feito.

Mas agora com esse (des) governo que o Brasil enfrenta, o Ministério da Cultura, está sendo administrado por um político de carreira, oportunista de plantão, que não tem mais voto, nem em Pernambuco e nem mais em São Paulo (tanto que é o sétimo suplente para deputado federal), e é uma verdadeira vergonha e motivo de piada, não somente no Brasil mas no mundo inteiro.

Com o golpista Roberto Freire assumindo uma pasta estratégica, e agora sem dinheiro nenhum, o governo está desrespeitando não somente a cultura em si, mas os artistas brasileiros propriamente ditos. Roberto Freire não entende nada de cultura e arte, e nem mesmo no auge do seu autoritarismo, e bajulação para manter seu emprego em final de carreira, teve a humildade de respeitar a opinião de um intelectual do porte de Raduan Nassar, que foi escolhido merecidamente para receber o Prêmio Camões de Literatura.

Foi vergonhoso sua atitude diante da grandeza intelectual de Nassar, e diante de tantos ativistas culturais sérios, que na democracia têm o direito de opinar e de ser contra os golpistas. Na entrega do Prêmio a noite era de Nassar, e não de um golpista anacrônico, sem voto, e sem moral, para ser Ministro da Cultura de um Brasil tão diverso em aspectos culturais.

Na falta de vergonha do mesmo, quem deveria tomar vergonha e mandar esse senhor mal-educado e deselegante de volta para os braços do seu padrinho José Serra, para que ele pelo menos com o respeito a sua idade seja no mínimo assessor do senador de São Paulo, para não ficar desempregado, seria Michel Temer. Assim respeitaria artistas, ativistas culturais, e faria pelo menos o primeiro bem ao Brasil desde que assumiu na forma torpe o governo brasileiro.

Pois o Prêmio Camões de Literatura não é uma iniciativa de Michel Temer, e nem um favor de um governo específico, principalmente um golpista que tirou todos os recursos do Ministério da Cultura. O Prêmio é uma iniciativa de dois estados soberanos, um hoje em regime de exceção, que é o Brasil, e o outro democrático, que é Portugal. Que o pseudo-ministro respeite isso, porque Raduan Nassar quando foi escolhido para receber o Prêmio, Michel Temer ainda era vice-presidente decorativo, e ele um senhor de recados do senador José Serra!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …