A perigosa chance de ser deputado de Colbert

Por Genaldo de Melo
Assumindo o cargo de Ministro da Secretaria de Governo do atrapalhado, mas "sabido" Michel Temer, o deputado tucano Antonio Imbassahy, deixa a vaga aberta para que o vice-prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins possa escolher ou assumir correndo o risco de em pouco tempo ficar sem nada, ou escolher continuar no governo municipal de José Ronaldo com eminente aposta da vitória deste para o Senado, para que possa assumir por dois anos a prefeitura e pavimentar a estrada para 2020 tentar continuar no comando da cidade.

Para Colbert provavelmente pode ser uma escolha muito difícil de sua vida política depois que voltou a ter um cargo público no voto, depois de várias tentativas fracassadas para a Câmara Federal. 

Pensando em curto prazo é muito bom ser deputado federal e ter autonomia de está no centro do poder com o seu partido no comando federal, para ter além de emendas impositivas por dois anos, também a possibilidade de negociar diretamente mais projetos para suas bases, principalmente para Feira de Santana.

Mas pensando em longo prazo o risco é eminente, pois parece que no governo de Michel Temer ninguém tem nenhuma segurança de se manter em qualquer cargo, e não seria Imbassahy livre dessa sina também, comprovado pela queda de quase uma dezena deles. 

Juridicamente pode haver até brechas para ele continuar nos dois cargos, mas pelos últimos prognósticos da imprensa ele tem que deixar o cargo de vice-prefeito. E nesse caso correr risco eminente de em pouco tempo ficar de novo sem nenhum cargo, e sem a chance que a “fortuna” do mundo político pode está lhe dando...

Pode ser que o grande problema para Colbert, que deverá ter muita dor cabeça com seus atuais aliados nos ouvidos a lhe apertar o juízo, deve ser a de que a vaga de deputado sem ele assumir ficará com Marcos Medrado, que os rumores dizem que ele é aliado de primeira hora do grupo político de Rui Costa, pois está por enquanto no Procon. 

Como política é costura, Colbert apesar de já praticamente ter decido, segundo a imprensa feirense, que ficará mesmo é em Feira de Santana, vai ter que ter muito discurso para convencer alguns membros da oposição ao governador Rui Costa de que não pode assumir a vaga na Câmara dos Deputados. Deve está entre a cruz, espada, os aliados que arranjou e de uma das duas cadeiras...! 

Comentários