A verdade sobre a "escumbação" do Planalto

Por Genaldo de Melo
Mais uma vez parece que pode vencer a insensatez, a incoerência e a incapacidade do ilegítimo Michel Temer, pois os limites de seu governo usurpado deveria ser atentar para os interesses maiores do povo Brasileiro, e não criar condições para se defender a qualquer custo de seus piores pecados de passado recente, na Operação Lava Jato.

Escolher para ser ministro do Supremo Tribunal Federal um assessor político, que até semana passada era considerado por todos inapto para o cargo como Ministro da Justiça, é simplesmente tornar o Brasil numa verdadeira “esculhambação”. Uma verdadeira balbúrdia de tanta desmoralização!

E mais vergonhoso ainda é saber que esse mesmo indivíduo indicado para o STF, que até a semana passada em todos os erros e gafes que cometeu colocou a culpa por tais exatamente no PT, defendeu no passado tese de doutorado de que nenhum membro de qualquer governo deve ser nomeado para o STF, enquanto esse governo estiver em suas funções de governo.

Não tem como qualquer cidadão brasileiro, em plena função mental e que compreende o mínimo do mínimo de política, não saber que essa indicação é totalmente política, principalmente num momento crucial em que a presidente do STF, mesmo em sigilo, homologou as delações premiadas da Lava Jato, em que o padrinho da indicação é um dos mais intricados, com 43 citações nas delações.


É uma verdadeira “esculhambação” o que está acontecendo no centro do poder brasileiro, que é Brasília, e os próprios brasileiros nada podem fazer para consertar esse distúrbio institucional. Como podemos acreditar que um sujeito que será responsável em analisar as delações premiadas não querer exatamente ajudar seu amigo pessoal, que sabe do seu péssimo trabalho no Ministério da Justiça, mas mesmo assim o indica para tão importante cargo, porque é prerrogativa do presidente fazer isso? Como...!?

Comentários