Deputados sergipanos que envergonham o Estado

Por Genaldo de Melo
(vista aérea de Porto da Folha/SE)
Sou natural de Porto da Folha, no Estado de Sergipe, e como sergipano tenho vergonha dos dois parlamentares que tiveram o descaramento de votarem no projeto de lei 4302/98, que estabelece obrigatoriamente o trabalho terceirizado irrestrito no país. Esses deputados são André Moura (PMDB), aliado de primeira hora de Eduardo Cunha, e Laércio Oliveira (SD).

Mais vergonha ainda sinto em saber que o deputado federal Laércio Oliveira foi o relator da famigerada proposta que acaba definitivamente com a Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT), criada por Getúlio Vargas há exatos 74 anos. Nada mais justo para ele ser um dos principais responsáveis por essa tragédia brasileira...!

Isso porque ele é dono de uma das maiores empresas que detêm contratos milionários com o Estado de Sergipe, que terceira mão de obra barata, e que escraviza, literalmente falando, milhares de trabalhadores sergipanos. O deputado federal é dono da Multserv, empresa criada pelo mesmo em 1983.

Para mais vergonha ainda, minha e dos sergipanos, ele também se perde na palavra. Ontem ele deu uma declaração desproporcional para um deputado federal numa conjuntura em que o machismo não está muito em moda num debate promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Ele disse “Somente no setor básico, asseio e conservação, é unanimidade, se terceiriza em todo lugar. Somente nessa atividade tem mais de dois milhões de trabalhadores, 60% dessa mão de obra é feminina, porque faz limpeza. E ninguém faz limpeza melhor do que a mulher..."

Se ainda votasse em Sergipe lhe daria o troco nas urnas nas eleições de 2018. Mas como não tenho mas título eleitoral de Sergipe, fica somente o conselho para o povo e suas organizações: procurar de todos os modos não esquecer dele no outubro de 2018. E também não esquecendo o pequeno feiticeiro de Pirambu, o eterno amigo do grande mafioso Eduardo Cunha.

Comentários