Novo assessor do Governo ridiculariza Michel Temer e dona Marcela

Por Genaldo de Melo
5cc63ebd-dcea-4033-89ca-11f8e89798d8
Deveras que pela sua heterogeneidade o Brasil já teve governos diversos em suas práticas sociais, políticas e administrativas. O Brasil já teve governos coordenados por populistas, por ditadores, por “playboys”, por príncipes de sociologia, por operário, mas também por atrapalhados no que fazem com a coisa pública.

Mas nada pelo visto, se for dialogar com a história, se compara com o atual governo de Michel Temer, pois ele assumiu o governo de forma irregular num estado de exceção, e ultrapassa em trapalhadas todos os limites do que pode ser considerado tolerável.

Esse governo com seus ministros e colaboradores com proventos, já fizeram de tudo em matéria de erros, gafes e atitudes folclóricas, e parece que não se importa muito com a imagem que deve todo governo possuir para ser respeitado pelo seus governados.

Já teve ministro que tentou utilizar o poder para se beneficiar em Salvador, já teve ministro que falou bobagens em entrevistas e teve que se retratar em público, já teve ministro que fez pós-doutorado antes do doutorado e plagiou obra de espanhol para tanto, já teve secretário que disse que deveria ter chacinas constantemente para que presos possam diminuir no país, aliás já teve de tudo para se envergonhar publicamente.

Agora vem a mais nova novela pública da cena de Brasília. Eliseu Padilha nomeou o professor Gilberto Cezar Pavanelli para o cargo de diretor do Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, com salário de R$ 8.988,00. O ex-reitor da Universidade Estadual de Maringá que presidiu o PMDB local e atualmente está filiado ao PSD, é mais um aliado do ministro Ricardo Barros que emplaca no governo Michel Temer.

Nada fora do normal nas nomeações do coordenador da organização “estranha” que está no poder no país. O problema é que esse senhor que foi nomeado para esse tão importante cargo público é também um grande atrapalhado, e arrogante em suas opiniões, o que coloca de novo o governo no foco do ridículo, que parece que se tornou marca registrada do mesmo.

Esse senhor é tão doido e atrapalhado como todos os outros que estão nesse governo ilegítimo. Ele não teve o que fazer enquanto esperava sua nomeação, e “tascou” a escrever bobagens e “indigestos” em suas redes sociais. Mas se superou quando fez piada de bebês com a microcefalia e ridicularizou a própria mulher de Michel Temer.

Mas como o governo é de exceção e Michel Temer é um fraco, Eliseu Padilha e outros ministros fazem o que querem, e Temer aceita de bom grado, porque não tem nem projeto de poder, nem voto e nem equipe própria para mandar para casa seus chefes secretos.

Comentários