O novo príncipe e os "coisas" ruins

Por Genaldo de Melo
Conceito elementar da ciência política foi ensinado por Nicolau Maquiavel de que para fazer as coisas impopulares, devem ser escolhidas pessoas certas para a tarefa, e não o próprio príncipe.
Michel Temer mesmo que não queira compreender isso, também foi escolhido exatamente para fazer o que existe de mais impopular contra o próprio povo que representa de forma ilegítima. Temer é o bode fedorento na sala do Brasil!
Mas pelos últimos acontecimentos políticos, principalmente com o depoimento de Marcelo Odebrecht, ele para não cair por enquanto, terá também seu próprio bode na sala, ou seja, quem faz as coisas erradas para ele é Eliseu Padilha.
Marcelo Odebrecht parece que está confiante de que a empreiteira que sempre coordenou como a maior do Brasil ainda tem salvação, e Temer não cai, e vai ser o príncipe que lhe salvará.
Portanto, nada mais natural cientificamente do que colocar a culpa, tanto pelo pedido de tantos milhões no Palácio do Jaburu como pelo seu recebimento, no impopular assessor em vez do príncipe.
Resta saber se em cada queda os assessores vão continuar calados, enquanto Michel, Marcela e Michelzinho vão continuar escolhendo em qual palácio devem morar!

Comentários