A arte de suportar bullying e ostracismo político mesmo sendo presidente

Por Genaldo de Melo
Para quem não faz parte do mundo político, mas apenas acompanha, avalia e até opina, é simplesmente estarrecedor o que está acontecendo com a popularidade do atual membro do Palácio do Planalto, o senhor Michel Temer. Com os resultados das últimas pesquisas em mãos ele simplesmente se tornou o político mais rejeitado da história política do país. Está na casa de um dígito de aprovação de ótimo e bom.

A cada dia inacreditavelmente ele desce no gosto popular, mas quer mesmo assim insistir em reformas que devem colocá-lo no ostracismo mesmo no cargo de Presidente da República. Pesquisa IBOPE que foi feita antes da divulgação da Lista de Fachin coloca ele na condição vergonhosa de não poder nem mesmo participar de reuniões públicas, mesmo sem povo.

A pesquisa analisa as três esferas do poder no Brasil, e Michel Temer perde consideravelmente em popularidade para todos os governadores e prefeitos recém-eleitos. É inacreditável como ele insiste em representar interesses que não o do povo brasileiro, e não renuncia de sua vergonhosa condição de zumbi.

A conclusão é que realmente duas coisas somente estão em sua agenda no momento para tanto. A primeira é que precisa, porque precisa, cumprir os acordos feitos com seus apoiadores e desmontar definitivamente o Estado brasileiro.

Segundo, porque deve ser muito bom poder utilizar não somente a prerrogativa infame de ser o Presidente da República, com todos os luxos do poder, mas ainda poder gastar mais de R$ 29 milhões de reais em cartão corporativo com sua companheira, bela e recatada do lar, em apenas um ano no cargo.

Não há outra explicação para tão doentio sofrimento e bullying político que vem enfrentando na condição miserável que se encontra nas mãos de tantos bandidos delatados e denunciados nas investigações por corrupção que estão em voga no momento. Definitivamente Temer gosta de sofrer, porque com essa última pesquisa IBOPE, feita antes mesmo da Lista de Fachin, tudo indica que a próxima vai deixá-lo na solidão de seus fantasmas noturnos. 

Comentários