Agora Aécio Neves deve voltar a beber dezoito anos em Minas

Por Genaldo de Melo
Com matéria de capa da revista Veja de que Aécio Neves recebeu propina dos esquemas sujos da corrupção endêmica brasileira, através de sua irmã em conta em Nova York, comprova-se de que o feitiço sempre volta contra o próprio feiticeiro.

Aécio Neves teve na revista Veja sua principal aliada contra o governo de Dilma Rousseff, que foi eleita democraticamente por cerca de 54 milhões de brasileiros, para lhe tirar do poder e desestabilizar política e economicamente o país.

Tudo começou quando não concordou com os brasileiros que não lhe elegeram, e passou para o contra-ataque sem nenhuma preocupação com o Brasil. Aliou-se a Eduardo Cunha e seu PMDB e arrasou o país, começando com suas pautas-bombas e culminando no impeachment da presidente então recém-eleita.

Mas pelo visto não tendo mais como esconder a verdade dos fatos, de que é dos mais comprometidos personagens com desvios de recursos públicos, a sua queridinha revista Veja, que ele distribuía gratuitamente durante a campanha em outubro de 2014, quando a justiça proibiu a mesma de ser distribuída por falsas notícias contra Lula e Dilma, resolveu de vez eliminá-lo do jogo do xadrez político no país.

E agora não adianta muito se lamentar, ou mesmo sua própria irmã, responsável pela sua imagem pública, chorar e dizer que a revista Veja está mentindo, pois não cola isso na mente de quem ler a revista nesse país, que é exatamente seus eleitores da classe média alta.

Agora é fato consumado! O playboy que gosta de tomar seus uísques, dezoito anos envelhecidos, em Ipanema, Copacabana, e outros bares de luxo cariocas, perdeu o timing de 2018, e pelo visto a revista Veja não vai demorar muito tempo para consolidar a imagem de outro salvador da pátria, como por exemplo João Dória ou Luciano Huck...

Comentários