O desafio contra o golpe no movimento sindical brasileiro

Por Genaldo de Melo
Nunca comunguei com a estapafúrdia ideia de se acabar com a Contribuição Sindical no Brasil, porque em nenhum momento da história desse país algum trabalhador teve direitos trabalhistas respeitados de forma coletiva, senão com a intermediação do seu sindicato.

Não concordei com isso no passado, mesmo diante de uma corrente que dentro da própria CUT tivesse feito essa defesa, como o discurso de que isso fortaleceria as entidades sindicais, porque faria com que dirigentes acomodados tivessem que de fato fazer o trabalho sindical para aproximar filiados de suas entidades.

Para desenvolver o trabalho sindical em defesa dos interesses e direitos mais elementares dos trabalhadores brasileiros as entidades sindicais, como únicos instrumentos para fazer isso, precisam de sua manutenção, precisam de recursos financeiros para tanto.

Esse discurso míope desse deputado comprometido com seus financiadores de campanha, Rogério Marinho (PSDB/RN), de que seu substitutivo à proposta de reforma trabalhista (PL 6787/16) vai contribuir para fortalecer as entidades sindicais não passa de uma falsidade, pois o fim da contribuição sindical nesse momento contribui é com o fim dos Aparelhos Privados de Hegemonia, que tem a responsabilidade de defender os interesses e direitos dos trabalhadores brasileiros.

E olhe que esse deputado das causas empresariais coloca isso na mesa num momento mais crucial da história política desse país, no momento em que seu governo de Michel Temer está comprometido com os interesses do empresariado brasileiro, que é de acabar os direitos dos trabalhadores de se organizarem em suas bases para lutar.

Para essa turma é que dirigentes, lideranças sindicais e o povo devem dá uma resposta a altura no próximo dia 28 de abril, porque eles estão acreditando fielmente que aprovam tudo no Congresso Nacional contra o povo, e o povo vai ficar quietinho como bois mansos.

E aos sindicatos também cabem desenvolver o trabalho educativo para que os seus filiados saibam para que serve a Contribuição Sindical, e acompanhem também seus sindicatos para que seu dinheiro seja utilizado de forma eficiente na luta sindical, porque empresário quer mesmo é exterminar os sindicatos que fazem barulho por direitos, muitos já adquiridos com muito suor e muita luta.

Comentários