O mineiro Aécio Neves se escondeu de novo

Por Genaldo de Melo
Deveras que muita gente não concorda com determinadas opiniões contrárias quando se trata de analisar a atual conjuntura política do país, porque na democracia todo é livre para defender suas teses, respeitando obviamente a dos outros. Agora tem gente que não admite de modo nenhum que estamos vivendo distúrbios políticos e institucionais no país que deveriam não existir em função exatamente de sermos um país democrático, em que as teses da maioria devem ser respeitadas quando as urnas indicam assim.

Porém não é o que está acontecendo com determinados grupos políticos que não aceitam de modo nenhum perder nas urnas, porque o seu projeto de poder apresentado não interessa a maioria, que demonstrou isso exatamente através da prerrogativa maior da democracia representativa que são as urnas.

Quem provocou o debate na sociedade brasileira, e do mesmo modo, criou o instituto do ódio que nunca existiu entre nosso povo, quando se trata de política foi exatamente o mineiro Aécio Neves, que a cada vez que surge um problema que pode colocá-lo em xeque-mate, todo mundo o esconde como se fosse um tesouro valioso.

Desde que saiu a famosa Lista de Fachin em que aparece o nome do senhor Aécio Neves, que o escândalo somente foi no momento do susto. Por incrível que pareça a partir de meados da semana passada Aécio está escondido em algum lugar, que nem mesmo no Senado Federal compareceu por esses dias. O que significa esse desaparecimento do mineiro? Será que vão de novo poupá-lo achando que ele ainda pode ser o salvador eleitoral da direita brasileira?

Com o súbito desaparecimento de Aécio Neves do cenário por esses dias nada pode servir de discurso para quem faz política pensando no desmonte do Estado Brasileiro. Já está ficando cansativa essa história de aparecer somente Lula em escândalos em que não se apresentam provas convincentes, enquanto em delações de criminosos que querem ficar livre da prisão falam que Aécio Neves recebeu R$ 50 milhões em caixa 2, que José Serra recebeu quatro vezes mais dinheiro de que Eduardo Cunha na Suíça (e este está preso em Curitiba), que Michel Temer envolveu-se no recebimento de R$ 40 milhões para seu PMDB, enquanto somente dois ou três membros da esquerda têm culpa  no cartório.

Procura-se urgentemente esse mineiro que representou a direita nas urnas em 2014 e perdeu, que provocou todo esse desastre de transformar o Brasil numa balbúrdia institucional e vergonha internacional, e que recebeu segundo delatores da Lista de Fachin muito dinheiro para tentar vencer eleições com um projeto que não interessa a maioria dos cidadãos com direito ao voto, que democraticamente nas urnas disse não! É bom lembrar que nem todo mundo é comedor de queijo para se esquecer as coisas!

Comentários