Pular para o conteúdo principal

O ovo da serpente chocou

Por Genaldo de Melo

Passam dos quinhentos anos em que Maquiavel em sua Florença da Idade Média dizia em alto e bom som que a história é a prova dos nove. E esta mesma, reiteradas vezes vem provando que a roda civilizatória não gira para trás quando se trata da própria civilização humana. É simplesmente incoerente a humanidade desenvolver estudos, criar tecnologias cada vez mais avançadas, produzir teorias que melhoram a prática da humanidade, avançar nos costumes e na cultura, e de hora prá outra simplesmente poucos que se acham iluminados impõem como a coisa mais natural do mundo o retrocesso ao passado.

Mas vergonhosamente o Congresso Nacional brasileiro aprovou o relatório da reforma trabalhista, de interesses apenas de um diminuto grupo da população brasileira para retrocedermos ao passado, quando não existiam direitos, quando se escravizava no trabalho em nome da acumulação absoluta de riquezas sob o controle de uma minoria conservadora, quando as teses econômicas pautadas na teoria da geração espontânea eram regras, porque a humanidade não tinha ainda avançado tecnológica e intelectualmente.

Ou seja, vergonhosamente estamos voltando ao passado com uma diferença abissal, porque hoje mesmo que as pessoas fiquem sob o crivo da barbárie trabalhista, elas sabem disso, e sabem que também podem e devem também radicalizar na barbárie. Ou alguém acha que daqui a dois ou três anos o povo brasileiro não irá sentir a falta de seus direitos mais elementares, que foram simplesmente tomados a força para se repetir o passado, como se a história não fosse a prova dos nove.

Se Stephen  Hawking preconiza que em breve tempo teremos desemprego e pobreza estrutural em função exatamente da possibilidade da substituição da mão de obra humana por máquinas, como pode um grupo pequeno de representantes no Congresso Nacional numa sociedade de 205 milhões de pessoas aprovar num espaço limitado de apenas poucos meses o retrocesso a um passado que a própria história com sua desenvoltura condena?

Foram precisos mais de 10 décadas de muita luta para que os avanços nos direitos sociais e trabalhistas acompanhassem os avanços dos demais setores da sociedade, principalmente os avanços científicos. Mais simplesmente um pequeno grupo de empresários, intelectuais comprometidos com seus empregos na área do pensamento, e deputados pequenos que não conhecem a história, mas apenas a ciência de angariar votos dos menores intelectualmente, impôs em pouco espaço de tempo a aprovação da PEC 55, que diminui o papel do Estado, a terceirização que provada está que no Brasil com sua legislação frágil cria somente escravos de poucos, e simplesmente coloca a CLT de 74 anos de idade como peça de museu e de estante.

Ao atual governo pouco importa sua baixa impopularidade, pois ele não teve votos mesmo da sociedade brasileira! Ele simplesmente comprometido com setores exageradamente no controle dos meios de produção, pega da estante teorias ultrapassadas, que comprovadamente para a civilização avançada em que vivemos somente vai construir a barbárie e a guerra entre grupos sociais, e impõe uma volta ao passado em que as pessoas ainda não tinham instrumentos adequados para lutar como existem hoje, principalmente a informação.

Com a aprovação de medidas constitucionais de exceção desenha-se no momento uma perigosa linha de raciocínio de uma nova ditadura no Brasil, a ditadura do judiciário que será responsável pelo cumprimento dos rigores da lei, através da força no sentido mais literal da palavra, porque o povo da mesma forma que a roda da história gira, está girando para frente, e naturalmente não vai aceitar de bom grado voltar ao passado. Maquiavel nunca esteve tão atual, e os fracos espiritualmente da sociedade brasileira insistem em não querer entender, ou aceitar de bom grado que a história é a prova dos nove.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …