Otimismo colorido e canja de galinha não fazem mal a ninguém

Por Genaldo de Melo
lucio vieira lima
O deputado federal baiano, Lúcio Vieira Lima (PMDB), aliado do presidente Michel Temer, parece que vive num conto de fadas, onde tudo é de mentira, mas as crianças acreditam como verdade. Aguerrido quando necessário se faz para defender seus interesses políticos e de seu grupo, coordenado pelo seu irmão que foi expulso do governo, arrogantemente disse em entrevista na Tribuna da Bahia, que Temer tem bala na agulha para resolver os problemas econômicos do Brasil.

Deve ser realmente muito otimista na defesa de seus mais elementares interesses, senão pode politicamente dormir na praia em 2018. Não querer enxergar o óbvio de que Temer não tem competência nem para administrar condomínio de periferia, quanto mais um governo de um país com as dimensões do Brasil, deve ser coisa de um desesperado que tenta a qualquer custo não morrer afogado em águas turvas.

Se Michel Temer tivesse alguma bala de prata na agulha de seu revolver, com a mais absoluta certeza ele já tinha sacado dessa arma, e não cair na armadilha brutal da impopularidade que o faz ver até mesmo fantasmas no Palácio da Alvorada. A bala da agulha de Temer não deve ser nem mesmo de borracha!

Lúcio Vieira deve saber muito bem que ele e muitos outros aguerridos deputados de seu partido devem mesmo se agarrar em alguma esperança de que as coisas mudem, porque senão eles não serão apenas culpados pelos maiores distúrbios institucionais, por qual passa a republica Brasileira, eles poderão ficar na história como o pior governo da história política desse país.

E contra fatos não existem argumentos plausíveis! O conselho que Lúcio Vieira deveria receber seria se preocupar com a sua própria reeleição para deputado federal, já que o povo tem demonstrado pelos últimos acontecimentos que não estão mais sendo enfeitiçado pela mídia do Jornalismo da Obediência, e não vai esquecer nas urnas quem são os traidores da democracia, da história, do Brasil como nação e do próprio povo brasileiro.

Se não tomar cuidado, perdendo tempo em defender um governo pequeno, medíocre, doente, paspalho e cego, não tem voto certo nas urnas em outubro de 2018. E para comprar voto para uma reeleição parece que no próximo ano vai ser mais difícil do que se pensa. A história é a prova dos nove!

Comentários