Pular para o conteúdo principal

O caminho de Sérgio Moro para ser ministro do Supremo

Por Genaldo de Melo

Um amigo próximo que é um competente advogado e conhecedor profundo dos meandros do mundo jurídico, confessou-me recentemente de que todo o roteiro “cinematográfico” do juiz Sérgio Moro, coordenador da famosa força tarefa da Operação Lava Jato de Curitiba, imitando os passos da famosa Operação Mãos Limpas que aconteceu na década passada na Itália, poderia ser uma grande estratégia do próprio juiz para chegar ao ápice de sua carreira, como ministro do Supremo Tribunal Federal.

Fazer política não é necessariamente o papel de um juiz, conforme determina nossa Constituição Federal, mas para chegar a ser ministro do STF exige-se necessariamente de diálogo com os membros do mundo político. Porque as regras são claras, quem escolhe os ministros do Supremo é o Presidente da República e quem o sabatina para saber se o mesmo tem capacidade e competência jurídica para tal cargo são os membros do Senado Federal.

Se Sérgio Moro realmente tinha essa pretensa segunda intenção quando se tornou um ícone do combate à corrupção (aqui segundo a imprensa tradicional, porque nos meios jurídicos como juiz ele sempre esteve cumprindo nada mais nada menos do que a sua própria obrigação do cargo que exerce como juiz) pode ser que ele possa está trilhando um caminho muito perigoso para quem pode não está devidamente preparado para fazer política.

Ninguém, absolutamente ninguém que raciocine minimamente, pode negar a partir dos prognósticos e espetáculos promovidos pela imprensa tradicional, principalmente a Globo e as revistas e os jornais de propaganda política, que a Operação Lava Jato vem tomando o caminho da parcialidade, e este significa o caminho da política. E no caminho da política necessariamente alguém tem que perder, e se Sérgio Moro tomou esse caminho, somente chegará à condição de ministro do STF se a direita vencer as próximas eleições.

A imprensa vem fazendo seu papel de aliada, se esse for realmente seu projeto, pois basta ver que transforma em escândalos qualquer insinuação ou menção, ou mesmo “convicções”, de qualquer coisa que coloque o ex-Presidente Lula na condição que possa perder votos dos cidadãos brasileiros. Basta ver também que essa mesma imprensa tradicional somente coloca em evidência alguns membros famosos da política brasileira da direita, como por exemplo Aécio Neves e José Serra, quando estão “numa boa”, pois quando estão sob o foco de delações e denúncias, eles simplesmente desaparecem da cena como o felino de Cheshire de Alice no país das maravilhas.

Se Sérgio Moro tem essa intenção de chegar ao posto mais alto da carreira jurídica vai ter que enfrentar muitos espinhos, porque para tirar a pessoa que pode ali na frente não lhe proporcionar essa oportunidade ele vai ter que descobrir de fato provas concretas de que esse personagem (que é Lula), realmente é o criminoso que tanto a Rede Globo e as revistas e jornais da imprensa do Jornalismo da Obediência insistem que ele é. Agora se quiser fazer política é fácil, basta imitar um “agora” ilustre desconhecido da mídia, mas que politicamente acaba de assumir o cargo mais alto da justiça brasileira, o senhor Alexandre de Moraes!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Grande oportunidade: Inscrições abertas para o Fundo Socioambiental Caixa

Por Genaldo de Melo A Caixa Econômica Federalestá com inscrições abertas para oFundo Socioambiental Caixa – FSA Caixa, que apóia projetos socioambientais voltados ao desenvolvimento integrado e sustentável para a população de baixa renda. O financiamento varia de 200 mil a 1 milhão de reais. São dois os editais abertos no momento para o FSA Caixa: Desenvolvimento e Cidadania; e Energias Renováveis e Recursos Hídricos. No edital de Desenvolvimento e Cidadania serão selecionados 20 projetos voltados à promoção socioeconômica com foco em saúde, educação, inclusão produtiva e promoção da cidadania, que tenham como finalidade a erradicação da pobreza, inclusão social e econômica, promoção da justiça, da dignidade e da qualidade de vida, implementados por organizações da sociedade civil sem fins lucrativos que atuem junto a grupos e comunidades em situação de vulnerabilidade social. O prazo para inscrição nesse edital é dia 11 de julho. Já no edital de Energias Renováveis e R…

Lula foi inocentado

Por Genaldo de Melo Recentemente o jornalista José Roberto Guzzo, colunista da revista Veja, escreveu um artigo intitulado “É só explicar”, cobrando indignado que Lula deveria aproveitar apenas quinze minutos para explicar sobre o polêmico apartamento que por “convicção" setores do Ministério Público Federal insistem na tese de que foi matéria de propina dada pela empresa OAS ao mesmo.
Interessante é que pelo que sabemos Lula já gastou uma carga de centenas e centenas de quinze minutos explicando que o polêmico apartamento não lhe pertence, e de todos os modos tenta explicar juridicamente esse fantoche político, mas tanto o Ministério Público quanto a mídia do Jornalismo de propaganda política continua insistindo nesse assunto.
Agora realmente o que causa um pouco de indignação é que as testemunhas de acusação que apresentaram seus depoimentos hoje (21/11) ao MPF, absolutamente todas são unânimes em dizer que não podem incriminar Lula, porque elas mesmas não negociaram nada disso em…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …