Vereador de Salvador se exaltou fazendo show em Feira de Santana

Por Genaldo de Melo
Resultado de imagem para imagens da micareta de feira de santana
Que “alguns” membros da Polícia Militar comentem desatinos em espaços festivos, como o carnaval e as micaretas, ninguém duvida em função das próprias imagens dos eventos que são divulgadas. Porém não se pode em hipótese nenhuma generalizar os fatos, porque a Polícia Militar como agente de segurança pública sempre cumpriu e cumpre seu papel na sociedade baiana. Os desatinos sempre devem julgados, e todo mundo sabe disso. 

Agora um sujeito que deveria ser respeitado como artista, que deveria se colocar no papel de legislador, já que foi eleito democraticamente nas urnas para ser vereador de Salvador, se exaltar verbalmente em público contra uma policial militar é o cúmulo do cúmulo do absurdo. Não faltou apenas respeito com a policial militar, faltou com respeito também o povo de Feira de Santana.

Nada contra a pessoa do cantor, aliás do vereador soteropolitano, mas contra sua atitude, que segundo vozes presentes pode ser que ele cometeu crime de assédio moral em público contra exatamente uma mulher. Ele como homem público eleito por mais de 11 mil cidadãos de Salvador poderia ser bem melhor como artista e não se envolver nesses conflitos públicos, para melhorar sua própria imagem que não é boa na sociedade baiana, e nem mesmo fora daqui.

Ficamos tristes em ver que Salvador deixou de eleger gente da melhor competência para ser vereador, mas escolheu eleger exatamente ele, porque alguns são seus tietes. Pode ser que nem todos seus eleitores saibam do papel que deve cumprir em público um vereador, mas alguns cidadãos devem está envergonhados.

E parece que sua própria assessoria não quer lhe dizer a verdade de que ele errou publicamente, porque ele não é somente um artista que pode se revoltar com uma atitude que ele ache errado de um agente público. Ele é um vereador eleito por mais de 11 mil cidadãos que confiaram que ele seria vereador e não armador de barraco! 
                        
Como podemos ter certeza de que no volume do som de um trio elétrico ele pôde ouvir palavras agressivas da policial? Será que ele fez alguma gravação com a própria fazendo gestos agressivos? Mesmo assim, faltou com o decoro público contra os participantes da Micareta de Feira de Santana. Deve se redimir desse pecado como homem público!

Comentários