Depois da bomba contra Temer e Aécio, Lula tem 60% de apoio para presidente, segundo Eduardo Guimarães

Por Genaldo de Melo
Que a Rede Globo começou a “maneirar” seu discurso contra Lula, depois da bomba jogada contra Michel Temer e contra Aécio Neves pelo proprietário da JBS, Joesley Batista, no último dia 17 de maio, ninguém é cego e surdo prá não ver esse fato.

Porém uma nova informação surge com a narrativa do excelente jornalista Eduardo Guimarães (exatamente aquele que Sérgio Moro queria que ele dissesse suas fontes) de que depois do acontecido existe uma pesquisa secreta feita pelo IBOPE, que circula nos bastidores políticos de que Lula vence a todos agora as eleições presidenciais com em torno de 60%, ou seja, ele se elege em primeiro turno. Por isso a calmaria em torno da perseguição que foi feita e não se provou até agora nada contra Lula.

Segundo Eduardo Guimarães desconfia-se de que todo o aparato que estão colocando em torno da eleição indireta de presidente ou mesmo a continuidade do governo em frangalhos de Michel Temer, tem a haver com essa pesquisa, pois os bastidores do golpe sabem que quem mais se beneficiou com as revelações bombásticas de Joesley Batista, foi exatamente Lula.
Repasso abaixo o artigo de Eduardo Guimarães em seu blog para melhor compreensão dessa informação guardada a sete chaves.

Pesquisa “secreta” pós Joesley mostra Lula eleito em 1º turno

O Blog obteve informação de que há uma pesquisa “secreta” que teria sido feita pelo Ibope e que estaria circulando pelas catacumbas do golpe. Essa pesquisa estaria por trás das campanhas da mídia por eleições indiretas ou pela continuidade do mandato de Temer.
Segundo a fonte do Blog, essa pesquisa mostra que os últimos fatos políticos que ocorreram no país fizeram Lula disparar de vez nas pesquisas. E a explicação que me foi dada está abaixo.
Após o tonitruante 17 de maio, quando o país tomou conhecimento das falcatruas de Joesley Batista com Michel Temer e Aécio Neves, teria ocorrido uma reviravolta política no país.
Até aquele dia, e desde as delações de executivos da Odebrecht – e, depois, de Renato Duque e Leo Pinheiro (OAS) –, Lula e Dilma foram colocados no olho do furacão.
Apesar de, inicialmente, após as delações da Odebrecht, políticos de todos os partidos terem sido denunciados, Lula ganhou um espaço absolutamente desproporcional na mídia. O Jornal Nacional, à frente de todos, tratou de apagar menções a tucanos e a peemedebistas de alto escalão e centrar fogo no ex-presidente.
Chega 17 de maio e explode a bomba Joesley. Não foram só o Aécio Neves e Michel Temer que tiveram suas máscaras arrancadas. Os partidos deles e o próprio golpe parlamentar contra Dilma Rousseff foram desmascarados.
A mídia tentou colocar Lula no mesmo balaio de Temer e Aécio, ou PSDB e PMDB, mas a população não está acreditando. A maioria, ao menos.
É o seguinte, caro leitor: essa pesquisa sobre a sucessão presidencial mostraria que, após a bomba Joesley, Lula teria, agora, quase 60% dos votos válidos. Se houvesse eleição direta neste momento, Lula venceria em primeiro turno.
Isso explicaria por que a mídia anda pegando leve com Lula e atacando quem tem que ser atacado pela muito maior gravidade das denúncias que pesam contra esse grupo político. Os golpistas foram arrasados pela bomba Joesley. E Lula foi o grande beneficiado.

Comentários