A cultura como moeda de troca por apoio político

Por Genaldo de Melo
papaiprimitivo
Não falta mais nada nesse nosso Brasil para nos surpreender em matéria do que existe de pior em matéria de como fazer política dessa turma em torno do governo cambaleante de Michel Temer. Quando acabamos de digerir a notícia de que em agosto próximo pode acabar todos os recursos do Ministério da Cultura, vem mais outra notícia de chocar quem é sério e ainda acredita que pode haver uma luz no fim do túnel.

Segundo o Jornal Nacional o MinC pode passar a ser controlado pela desconhecida filha de Roberto Jefferson, que misteriosamente também manda no PTB, e com um agrado daqueles de causar inveja os políticos interesseiros, porque votou na CCJ em favor de Temer. vai ganhar o Ministério em processo de falência, mas com uma grande ajuda financeira para que seja repassado "politicamente" para o carnaval carioca.

Reproduzo a excelente opinião do jornalista Fernando Brito em seu Blog “O Tijolaço” para que se compreenda melhor como essa organização estranha que assaltou o poder no Brasil faz política em favor dos seus interesses e não em função do povo propriamente dito, como reza as exigências de uma democracia representativa.

Ministério da Cultura será entregue aos “instintos mais primitivos”? (Fernando Brito - Tijolaço)

O competente amigo Aziz Filho, na newsletter BússolaBR. chama- me a atenção para uma notícia de ontem à noite, no Jornal Nacional.  A repórter Délis Ortiz diz que a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) pode assumir o Ministério da Cultura como prêmio por ter sido a única deputada do Rio a votar a favor de Temer na CCJ.
Cristiane, para quem não sabe, é a dedicada filha do senhor Roberto Jefferson, aquele que ficou conhecido, no julgamento do chamado “mensalão” por ter dito a José Dirceu, na Câmara dos Deputados, que o petista despertava nele “os instintos mais primitivos”.
É tão chocante que fui conferir o trecho do Jornal Nacional, e está lá:
O PTB deve ficar com a [pasta da] Cultura. O nome mais forte é o da deputada Cristiane Brasil, do Rio de Janeiro, filha de Roberto Jefferson, condenado no Mensalão. A única parlamentar da bancada carioca a votar a favor de Temer na CCJ.
E com direito a cereja no bolo: “O acerto incluiria uma ajuda federal para o carnaval do Rio”, completa Délis.
Portanto, quem achava que Roberto Freire havia sido o pior que poderia acontecer à cultura brasileira, prepare-se para os instintos primitivos do outro Roberto, o Jefferson.
E torça para o próximo ministro não acabar sendo , por notória especialização em instintos primitivos,  o Alexandre Frota.

Comentários