A SOCIEDADE DE MENTECAPTOS

Por Genaldo de Melo
Com os acontecimentos recentes aonde o governo mais impopular da história da República brasileira aprova no Congresso Nacional tudo o que apresenta, orientado pelos financiadores do golpe que colocaram o mesmo na presidência, definitivamente inferimos que formamos na grande maioria uma sociedade de mentecaptos.

Alguns trabalhadores que deveriam lutar para que seus direitos mais elementares não sejam retirados na base da força política de conservadores que abandonaram a narrativa de democracia representativa, estão enfeitiçados pela narrativa em osmose da Rede Globo, e estão fazendo festa porque o Congresso Nacional aprovou a famigerada Reforma Trabalhista.

Muitos ainda não entenderam a gravidade da situação, e estão comemorando por exemplo o fim do imposto sindical. Simplesmente não compreenderam que se já era difícil estabelecer regras mais claras para o “Trabalho Decente” com a existência da intermediação política dos sindicatos, imagine agora que a relação de negociação será diretamente entre o patrão e o empregado!

Em que situação mesmo um patrão que faz de tudo para retirar direitos e diminuir salários vai negociar com seus empregados individualmente, pensando em melhorar suas condições salariais e melhorar as condições de trabalho, sabendo que a lei bastante diáfana diz que ele pode fazer o que quiser com seu empregado, que com medo de perder seu emprego, numa sociedade suja por downsizing, vai ter que baixar a cabeça?

Estamos mesmo vivendo atualmente sob o signo da servidão voluntária de Etiennie de La Boétie, numa verdadeira sociedade de mentecaptos formados pela opinião da imprensa tradicional, que comercializa as informações que devem ser repassadas para seu público. Por isso, que por mais que pesquisas de opinião apresentem dados estarrecedores e escandalosos de impopularidade de Michel Temer, mesmo assim ele aprovará qualquer coisa que se apresente no Congresso Nacional.

Para os incautos e ignorantes mentecaptos que reproduzem que o contraponto construído em torno da Reforma Trabalhista é coisa de sindicalistas, um aviso vem sendo dado nas entrelinhas, que cegos como estão ainda enxergaram, de que não estamos vivendo em contos de fadas, onde todos os jardins são verdes e coloridos, em que todas as crianças são brancas e bem vestidas, e adequadamente bem nutridas.

Da mesma forma que enfeitiçados foram para as ruas imitando a classe média alta desse país, para “babar” ódio contra Dilma Rousseff e depois com “cara de paisagem” se arrependeram, não demorará muito e veremos os mentecaptos tentando construir aparelhos privados para ocupar as ruas em protesto contra a semi-escravidão à vista que estão apoiando, porque sindicatos eles poderão não ter mais para organizar o povo.

Como a história é a prova dos noves, e como o conceito ainda incompreendido do eterno retorno de Nietzsche sempre surge no caminho de todos, veremos...!

Comentários