Pular para o conteúdo principal

A verdade sobre o crescimento do petismo e incrível retrocesso do antipetismo

Por Genaldo de Melo
Definitivamente os militantes do campo do antipetismo sem sombras para dúvidas não são politizados como são os militantes do campo da esquerda no Brasil. A grande maioria dos cidadãos que se dizem contra o Partido dos Trabalhadores não são considerados de direita e nem mesmo sabe qual a diferença entre um projeto político de direita e um projeto político de esquerda. Estão todos perdidos no discurso de combate à corrupção, que para muitos deles é somente coisa do PT, como se o PT tivesse governado durante os  500 anos de nossa existência, e não conseguem enxergar que a corrupção sempre foi a premissa principal da existência da direita brasileira.

Por mais que a grande maioria que assimilou o discurso de que tudo que for do PT, tudo que for vermelho não presta, ela não enxerga nem o passado recente dos últimos 13 anos que o PT governou e colocou nossa economia na sexta posição no mundo, enquanto que em poucos meses de governo Michel Temer já diminuiu nossos patamares a posições vergonhosas, por ser um "grande político" em si, mas não um grande articulador e um grande administrador.

O antipetismo é tão despolitizado que esqueceu em pouco tempo o governo que foi coordenado por Lula, e agora procura de todos os modos desqualificá-lo como incompetente. Coisa que para quem compreende o mundo da política sabe muito bem porque é que Lula foi eleito, reeleito, e elegei por duas vezes seu “poste”. Fez isso exatamente por ser mais competente do que os acadêmicos de plantão que no poder nunca conseguiram fazer do Brasil uma nação não colonizada e impregnada pelo vírus do “complexo de vira-latas” de que tanto falava Nelson Rodrigues.

Quando se analisa o ódio generalizado que não existia no Brasil, mas passou a ser elemento nacional a partir do formato de opiniões de gente que chegou a conclusão de que nas urnas não mais vencia Lula e o seu PT, chegamos a conclusão que o antipetismo quer combater a corrupção apenas do PT, e não a do PSDB, do DEM do PMDB e de seus satélites, mas não consegue nem mesmo dialogar e debater sobre o tema, simplesmente porque é despolitizado e manipulado pela imprensa tradicional brasileira, que concluiu que o PT é o demônio.

Porém o problema do antipetismo é exatamente o fato de não saber mesmo fazer política, tanto que a esquerda somente cresce em pesquisas e em números, conforme demonstram todas as pesquisas de opinião sobre o voto para 2018, exatamente porque o petismo e seus aliados são bem mais politizados e preparados para o debate dentro da sociedade brasileira. Enquanto se busca de todos os modos demonizar e assassinar a reputação de Lula, o povo em si somente se apaixona politicamente ainda mais por Lula e pelo projeto político da esquerda que vinham dando certo até 2014.

Dizer o que PT é coisa do demônio e que inventou à corrupção, e querer prender Lula de qualquer jeito e sem apresentar as provas convincentes para a sociedade brasileira, não vai adiantar de nada para os militantes despolitizados do combate ao petismo. Se ao menos os militantes do antipetismo tivessem consciência política de que deveriam ser militantes orgânicos da direita brasileira, aí sim, o contraponto ao PT teria melhores resultados, porque do modo como estão “babando ódio” e escrevendo escabrosidades nas redes sociais não vai definir os resultados das urnas em seu favor.

Felizmente ou infelizmente o sangue de todos os brasileiros é vermelho por natureza, a não ser que alguém queira beber tinta azul, ou imitar a louca da Janaína Pascoal que faz o que faz por dinheiro! Porque por enquanto somente quem está crescendo de tamanho político por incrível que pareça, e por mais que se aumente a caçada judicial e midiática, é o petismo no Brasil. E escrevo isso com a consciência tranqüila de não ser exatamente um petista!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A Globo agora anuncia a incrível piada de início de ano com Luciano Huck e Angélica

Por Genaldo de Melo A Rede Globo sempre esteve envolvida nas tentativas de apresentar para a sociedade brasileira candidatos à presidente que representassem a possibilidade de a pequena minoria conservadora e dona dos meios de produção do país tomassem conta do Estado e ficassem no controle dos recursos dos cofres públicos. Mas nunca essa rede de comunicação com concessão pública escancarou tanto na suas escolhas com fez nesse final de semana com a participação de seu funcionário Luciano Huck no programa televisivo de maior audiência do país em um domingo à tarde.
Luciano Huck, que numa contradição além dos limites para um sujeito que aconselha publicamente a seriedade, a honestidade e o combate à corrupção dos homens públicos, demonstrou que além de falta de seriedade dele próprio já que havia desistido publicamente de candidatura, também demonstrou que a Rede Globo resolveu entrar de vez na disputa para ter um nome na Presidência da República para chamar de seu.
E mais grave ainda, par…

O desespero da Globo com seu circo de horrores

Por Genaldo de Melo A Rede Globo de Comunicações, que passou os quinze dias que antecederam o tão badalado depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro, por causa de um triplex, que até agora ninguém mostrou de fato nenhum documento do mesmo no nome dele, e do mesmo modo não comprovou que ele ganhou o mesmo como forma de propina, literalmente entrou em desespero. Interessante é que o tríplex entrou no imposto de renda da OAS, e D. Marisa entrou com um processo judicial para receber sua cota parte de volta, quando desistiu do mesmo, que era de R$ 209 mil em 2009 e hoje é de R$ 300,8 mil (o processo está na 34ª Vara Cível).
A Globo utilizou ao modo de Goebbels o discurso de que Lula poderia, aliás, teria que ser preso ali mesmo em Curitiba, até mesmo com um provável desacato ao juiz, mas como Lula não foi preso porque pelo visto o apartamento não é mesmo dele, partiu para um ataque tão violento, que não se pode dizer que está mais praticando jornalismo.
Do momento do depoimento até agora, quase …

Lava Jato pode apresentar a lista de santos que o Brasil deve votar em 2018

Por Genaldo de Melo O procurador da República em Curitiba, um dos coordenadores da Operação Lava Jato, Deltan Dallagnol, parece que compreendendo que o povo brasileiro é um dos mais despolitizados do mundo, tanto que escolhe sempre os piores para serem representantes no Congresso Nacional, quer que para se terminar com a Operação de vez em 2018, orientar para que se vote nos melhores, só não diz quem são os melhores para um povo que vende o voto para corruptos.
Em sua aparição na Globonews, como se fosse um artista de cinema ou um astro do futebol, fala do fim da Lava Jato, mas deixa bem claro que ela só acaba se os brasileiros melhorarem o Congresso Nacional nas urnas. Ele parece que quer continuar com seus espetáculos e não resolver de fato o problema de combate e prevenção da corrupção, pois trabalha como um cabo eleitoral, e efetivamente não prendeu ninguém que foi delatado ligado aos tucanos, demistas e peemedebistas (com exceção de Cunha, que ninguém sabe de fato se realmente ele …