O novo milagre de Michel Temer será o bolso do povo

Por Genaldo de Melo
Michel Temer conseguiu implementar um grande golpe nas contas públicas para barrar a investigação que deveria ser feita pelo STF de ter cometido corrupção passiva. O Governo reclamando publicamente o tempo inteiro de que o país passa por dificuldades financeiras, por isso que se deve a toque de caixa assumir na prática o discurso da austeridade fiscal, retirou dos cofres públicos bilhões e bilhões para distribuir com deputados sem compromisso com a democracia representativa desse país, e quem está pagando a conta é o próprio povo brasileiro.

Conseguiu ficar rindo da cara dos brasileiros que viram as cenas de seu deputado Rocha Loures carregando uma mala de dinheiro com R$ 500 mil, devolvendo depois faltando R$ 35 mil (que também entregou depois à PF), e que viram também a imprensa tradicional esculachá-lo publicamente quando apresentou gravações feitas pelo proprietário da JBS em conversas nada religiosas. Um feito e tanto para quem não tem o mínimo de decoro e de vergonha na cara de boca de envelope amassado!

Porém dos 263 deputados (aliás aves de rapina da coisa pública), muito mais do que a metade faz parte do grupo político dentro do Congresso Nacional denominado de “Centrão”, ou seja, deputados sem muita expressão do ponto de vista político, que se elegem exatamente comprando votos e consciências de quem não sabe nada do mundo político, além da festa da democracia chamada de eleições. Melhor dizendo, Michel Temer comprou deputados na cara grande!

Porém a política feita na base do fisiologismo e clientelismo é uma faca de dois, que fatalmente cortará os pulsos de alguém em um vacilo qualquer. Ou seja, esses deputados viciados em dinheiro público para comprar seus mandatos não serão os mesmos a voltarem de graça em uma próxima votação envolvendo o Governo, ou em nova denúncia de Rodrigo Janot, ou em votação de qualquer outra reforma proposta, como a da previdência ou uma tributária.

Isso significa que Michel Temer terá que escolher de novo com quem estará, ou com seu próprio umbigo ou com o sangue do povo brasileiro. Tudo isso, porque segundo a coluna Painel, da Folha de São Paulo, as planilhas do Governo registram que, agora, o “gado” disponível para votar, por exemplo, a reforma da Previdência tem apenas 150 cabeças, ou seja, que se precisa para aprovar qualquer coisa do governo ter que comprar mais 158 cabeças de deputados (pois domesticar "gado" que pensa é muito difícil!).

E como Michel Temer não está preocupado com o que pensa o povo brasileiro, porque ele não foi votado para ser Presidente, mas recebeu o cargo de presente para diminuir o tamanho do Estado em favor do mercado, todo mundo sabe que vai aparecer dinheiro de novo, e todo mundo também sabe quem é que vai pagar a conta. É conferir a história já que ninguém nesse país ocupa às ruas, pois foram domesticados pela imprensa tradicional para calar diante de todo descalabro!

Comentários