Pensando em ser deputado federal Temer vai derramar mais dinheiro

Por Genaldo de Melo
Por incrível que pareça, com tantos problemas financeiros enfrentados pelo Estado brasileiro por causa da crise econômica que atinge o centro do mundo do capital especulativo, reconhecidos pelo próprio Governo que está a cada dia colocando a população para cobrir os rombos (vide, por exemplo, o maior aumento de gasolina dos últimos 13 anos), vergonhosamente Michel Temer de novo na calada da noite do Palácio do Jaburu, escondido por plantas, planeja mais um derrame de dinheiro para que os parlamentares do Centrão possam continuar aprovando as pautas dos seus interesses.

Como Temer maquiavelicamente planeja um novo golpe com a idéia fixa de implantar o parlamentarismo no Brasil, o que dará a possibilidade como ele pensa de vencer as eleições em 2018 para deputado federal para continuar mantendo seu foro privilegiado, e não responder aos seus crimes na justiça comum, ele pretende a todo custo e na forma da imposição autoritária que tem sido uma das suas características para manter seu minguado e fracassado Governo, comprar os 308 deputados necessários para aprovar o remendo na minirreforma eleitoral chamada "carinhosamente" de Distritão.

Como vergonhosamente a relação política dele com os deputados federais, principalmente dos partidos do Centrão (PP, PR, PSD, PRB, PSC, PTB, PHS, Pros, PSL, PTN, PEN, PTdoB e Solidariedade) é uma relação clientelista, conforme ficou comprovado na votação que o livrou da investigação que deveria ser feita pelo STF de corrupção passiva, porque ele demonstra a cada dia incapacidade política de construir um grupo político dentro do Congresso Nacional, deverá de novo rir da cara dos brasileiros e derramar de novo os rios de dinheiro com a desculpa de que se trata de orçamento impositivo, e depois mandará a conta para a  sociedade brasileira pagar de novo de forma autoritária.

Como ele chegou de fato a fatal conclusão de que os cidadãos brasileiros não reagem, como personagens figurantes da servidão voluntária preconizada por Etiénne de La Boétie, ele é o mais entusiasta da proposta do Distritão, porque como Presidente da República acredita religiosamente que deverá ser um dos mais votados deputados federais de São Paulo para continuar com seu foro privilegiado num sistema parlamentarista, e portanto que dane o povo, pois para tanto deverá fazer qualquer coisa para aumentar o rombo financeiro do Estado Brasileiro.

E que ninguém se engane com o discurso bonito do seu aliado o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de que o Distritão não é bom para o país, porque não precisa ser muito inteligente para concluir uma coisa que é óbvia. Ou ele tem medo de ser de novo mal votado, pois é deputado federal e o terceiro homem mais poderoso do país com apenas 53 mil votos (o que ele pode resolver isso facilmente, porque ele tem a máquina da Câmara dos Deputados nas mãos para fazer política e aumentar seus votos), ou ele maquiavelicamente quer manter a narrativa de bom amigo político e negociador com as forças de oposição, como sempre fez e sair de novo de bom moço, para provavelmente ser inclusive uma alternativa em caso de qualquer queda de Temer.

Definitivamente o Brasil é o país da safadeza política, e ninguém reage nas ruas. É conferir a história, e acreditar que tudo seja diferente em 2018, porque por enquanto...!

Comentários