Vergonhosamente ministros são exonerados para votar em Temer

Por Genaldo de Melo
Michel Temer foi denunciado por corrupção passiva pela Procuradoria Geral da República, a partir da delação de executivos da J&F, grupo que controla o frigorífico JBS, e para que o Supremo Tribunal Federal avalie a denúncia, a Câmara precisa autorizar a abertura do processo, com pelo menos 342 dos 513 deputados. 

Nesse sentido, o novo “senhor dos anéis” de Brasília não tem medido esforços para continuar governando ilegitimamente, imprimindo a marca de desastres sociais futuros. Com objetivo de ganhar mais votos e tentar barrar a denúncia de corrupção passiva, o governo de Michel Temer exonerou 10 ministros do primeiro escalão, que também são deputados. 

Publicadas no Diário Oficial da União, as demissões foram as seguintes: Antonio Imbassahy (PSDB-BA), da Secretaria de Governo; Bruno Araújo (PSDB-PE), das Cidades; Fernando Coelho Filho (PSB-PE), de Minas e Energia; Leonardo Picciani (PMDB-RJ), do Esporte; Marx Beltrão (PMDB-AL), do Turismo; Maurício Quintella (PR-AL), dos Transportes; Mendonça Filho (DEM-PE), da Educação; Osmar Terra (PMDB-RS), do Desenvolvimento Social; Ronaldo Nogueira (PTB-RS), do Trabalho; e Sarney Filho (PV-MA), do Meio Ambiente. 

Uma vergonha essa legislação política no Brasil, que permite uma safadeza dessa natureza! Uma verdadeira reforma política, urge!

Comentários