Pular para o conteúdo principal

Rui Costa será eleito no primeiro turno e Zé Ronaldo será o novo líder das oposições

Por Genaldo de Melo
Foto: Manu Dias/ GOVBA
(Foto: ManU Dias/GOVBA)

A política não é uma ciência necessariamente exata, mas ela permite que sejam feitos milimetricamente determinados cálculos como na guerra de Sun Szu. Numa pesquisa eleitoral, por exemplo, o instituto responsável não tem que necessariamente levantar dados de todos os cidadãos de uma sociedade, mas fazer estudos personalizados para se chegar à conclusões matematicamente próximas da realidade das urnas.

E as pesquisas que estão sendo feitas na Bahia para governador, registradas ou até mesmo simplesmente para consumo interno dos formuladores das campanhas eleitorais, demonstram resultados esmagadores para reeleição de Rui Costa (PT) contra José Ronaldo (DEM), já no primeiro turno.

Algumas vozes que demoram a compreender o funcionamento da política, e até resistem à raciocínio, ainda insistem em dizer que o ex-prefeito de Feira de Santana, que provavelmente compreende que será derrotado, não deveria nem mesmo sequer participar de uma loucura dessa natureza. O problema é que a política não é feita de coisas aparentes, mas de coisas recônditas e de eminências pardas.

A continuar com os prognósticos de pré-campanha eleitoral, a oposição ao petista simplesmente diminuirá de tamanho, e alguém vai ter que virar o bode expiatório, enquanto que outro deverá ficar com os loiros restantes. Não precisa ser especialista ou até mesmo muito inteligente, para observar que provavelmente a oposição diminuirá seu tamanho na Assembléia Legislativa e na Câmara dos Deputados, bem como poderá não eleger nenhum senador.

E a culpa por isso não resta dúvida recairá sobre os ombros de ACM Neto, que fez tanta festa antes do tempo e depois decidiu não ser o líder que todos esperavam que fosse, para ser o contraponto ao petismo da Bahia, demonstrando a frieza de escolher seus projetos pessoais porque simplesmente não queria de modo nenhum perder, mesmo se tornando o líder de todos. Ele só queria somente era  mesmo ganhar.

Do contrário, mesmo sendo considerado por alguns afoito por ter feito a loucura de entregar a Prefeitura de Feira de Santana a um grupo político que nunca foi chamado de seu, correndo o risco de ser alijado logo após as eleições, José Ronaldo pode começar o próximo janeiro de 2018 sendo o grande opositor ao governador Rui Costa, que deverá ser eleito em primeiro turno, e liderar o processo de reconstrução do espólio que o rapaz de Salvador vai deixar para trás, por fugir da luta antes do tempo.

Nesse processo todo, três possibilidades de certezas começam a ficar latentes como cenários do futuro. Primeiro, o petista vence no primeiro navegando em céu de brigadeiro, segundo, ACM Neto poderá ser visto pelos derrotados como um indivíduo egoísta, e terceiro, José Ronaldo só não será o líder da oposição, se o próprio ACM Neto como presidente de seu partido travar sua vida política, inclusive fazendo acordos, que podem ser feitos na política, com Colbert Martins (MDB), que ficou com a Prefeitura de Feira de Santana, para fazer ou não fazer política.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A manipulação grosseira da Globo do Dia do Trabalho

Por Genaldo de Melo Dificilmente assisto a Rede Globo, porque além de não ter mais paciência, não concordo com a manipulação que ela faz com suas edições políticas contra a esquerda brasileira, e hoje definitivamente contra a democracia brasileira.
Mas confesso que ontem resolvi acompanhar o Jornal Nacional para ver que tipo de grosseria jornalística ela poderia fazer com esse Dia do Trabalho, em que parcela do povo ocupou às ruas em defesa de Lula e da democracia.
Simplesmente vergonhoso seu jornalismo da obediência, pois utilizou a maior parte do noticiário para sensacionalizar e sensibilizar a população sobre o incêndio em São Paulo, e manipulou sua edição com imagens que não mostraram a verdade das ruas no dia do trabalhador.
Não que não seja importante noticiar o incêndio do prédio paulista, mas porque descaradamente usou abusivamente do fato para esconder o óbvio de que os brasileiros ocuparam em massa as ruas do Brasil em defesa de Lula e em defesa da democracia.
Nos fatos ficou cla…

ACM Neto pode não ser mais candidato nas próximas eleições na Bahia

Por Genaldo de Melo Reza a cantilena popular que para bom entendedor meia palavra basta, de modo que não precisa ser muito inteligente ou até mesmo conhecer os bastidores do mundo político, para saber do dilema existencial por qual passa o prefeito de Salvador, ACM Neto, em torno da perigosa decisão que precisa tomar logo, porque o tempo como ele pensa e verbaliza não é tão grande assim, para se lançar como o nome das oposições ao governo do Estado da Bahia nessas eleições vindouras.
Basta somente dialogar com os fatos e analisar mais friamente as próprias palavras do prefeito em entrevista que concedeu na abertura do carnaval da capital baiana para se chegar a dolorosa e cruel conclusão de que ACM Neto não tem tanta certeza assim de uma provável vitória.
ACM Neto verbalizou nas entrelinhas que a decisão não é tão fácil assim como pensam seus aliados, até mesmo porque em se lançando candidato a governador e perdendo as eleições, ele ficará quatro anos sem mandato e sem a possibilidade e …

Sem Lula cidadãos conscientes continuam preferindo Manuela

Por Genaldo de Melo Caso não haja a possibilidade de Lula ser candidato à Presidente da República, muitos cidadãos brasileiros conscientes da importância de um representante que tenha mais a cara do povo brasileiro, e não o espectro dos interesses internacionais, ficarão órfãos para ter que escolher entre os postulantes de centro e de esquerda que estão se colocando a disposição das urnas.
Todos os nomes colocados até o momento que poderiam substituir Lula nas urnas não conseguiram ainda atingir os dois dígitos nas pesquisas eleitorais. Entre os mais bem colocados estão Ciro Gomes (PDT) e Joaquim Barbosa (este colocado aqui por ser provável postulante do “PSB”, mas muito complicado ainda do ponto de vista ideológico). Ainda em processo de construção da imagem estão Manuela D‘Ávila (PCdoB) e Guilherme Boulos (PSOL).
Em relação a Joaquim Barbosa, rumores dão conta que os verdadeiros socialistas estão se remoendo ainda para ter que aceitar aquele sujeito estranho, com mais interesse nos EUA…